• Capa_abril_Site-100.jpg

O deputado Carlos Fernandes afirmou, hoje, que a Madeira é a Região do país que apresenta, há vários meses, a melhor descida da taxa de desemprego. “Como exemplo temos o mês de novembro e dezembro de 2021, onde foi possível ter os melhores números nesta matéria a nível nacional”, disse, numa intervenção, na Assembleia Legislativa da Madeira.

O deputado lembrou que, antes da chegada da pandemia de COVID-19, a nossa Região crescia economicamente há mais de 80 meses e tínhamos, também, a mais baixa taxa de desemprego do país.
Contudo, a crise pandémica trouxe-nos meses complicados, difíceis e de muita incerteza.

Porém, “a visão do nosso Governo Regional foi, desde o primeiro momento, a de preservar a saúde e integridade da população, considerando políticas de proteção para os trabalhadores e as suas famílias, criando programas como o FEAS e o FAROL, e protegendo economicamente quem mais sentia os embates desta situação”.

Com o decorrer da pandemia, referiu, “o Instituto de Emprego da Madeira não parou, chegando a registar elevadas taxas de desemprego. Mas rapidamente, e com muito sacrifício, os números foram melhorando”.

Como resultado, de março até dezembro de 2021, o número de inscritos no Instituto de emprego decresceu a olhos vistos: “Conseguimos fechar o ano de 2021 com uma taxa de desemprego de 6,6% sendo a Madeira região do país que conseguiu apresentar os melhores números nesta matéria”.

Uma situação que disse não ser por acaso, mas sim “fruto do trabalho e esforço de toda uma região, desde o Instituto de Emprego, com medidas ativas de emprego que abrangem muitas empresas, até os microempresários que apostam na nossa economia e que contribuem, também eles, para uma fase de retoma muito acentuada”.

Assim, os indicadores que apresenta a nossa Região, em matéria de desemprego, até dezembro de 2021, são números inferiores aos de março de 2020, antes do início da crise pandémica.

No último mês de 2021, adiantou Carlos Fernandes, registámos a maior descida da taxa de desemprego do país, com 28%, face ao mês de novembro.

Ao mesmo tempo, sublinhou, ainda em dezembro do ano passado, recuámos para números inferiores, no que diz respeito a desempregados inscritos no Instituto de Emprego, aos que registáramos há doze anos, em janeiro de 2010. Uma realidade que indica uma “retoma económica, responsável, que supera os números pré pandémicos”.

“Numa altura em que os números de desempregados inscritos no instituto de emprego, não eram muito favoráveis, este governo não baixou os braços nem fugiu das suas responsabilidades, porque nos momentos difíceis os governos sérios demonstram a sua responsabilidade com a população, os trabalhadores, e suas famílias”, afirmou o deputado, salientando que temos que reconhecer que existe um esforço e mérito de quem esta a dar a volta a uma situação que há menos de dois anos era muito complicada, de “um governo que consegue ser amigo das empresas e ao mesmo tempo proteger aos trabalhadores”.

“Nesta bancada da maioria, temos orgulho de suportar um Governo Regional que não baixou os braços, que tem conseguido sozinho dar a volta a uma situação difícil, no combate ao desemprego, sem ajuda do Estado, mas com a coragem e resiliência das empresas e trabalhadores desta terra. Seguimos focados na recuperação económica de uma Região, que não se agacha nem baixa os braços perante as situações mais difíceis, e nós, deputados desta maioria parlamentar, estaremos cá para ajudar, para contribuir, e continuar a cumprir no rumo certo, sempre pela Madeira e pelos Madeirenses.”