• Capa_abril_Site-100.jpg

O Grupo Parlamentar do PSD apresentou, na Assembleia Legislativa da Madeira, um requerimento de audição parlamentar à Presidente da Comissão Executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, para esclarecimento da política da companhia área nacional em relação à Região Autónoma da Madeira.

O PSD lembra que, já no mandato do atual Conselho de Administração da TAP, e após uma audição parlamentar na Assembleia da República, a propósito da eliminação do voo para o Porto Santo no Inverno, a presidente executiva da TAP, Christine Ourmière-Widener, assumiu que a rota foi objeto de uma avaliação económica e concluiu não ser possível realizar esse voo de forma sustentável, ou seja, a decisão de encerrar a rota no Inverno foi uma decisão estritamente económica.

"O tratamento da TAP em relação ao Porto Santo, bem como os preços praticados nas ligações aéreas entre a Madeira e o resto do País, indiciam que a companhia aérea nacional não tem uma política institucional que salvaguarde o preço e a qualidade de um serviço adequado à nossa condição de insularidade e que se revele como um verdadeiro fator de bloqueio à livre e justa circulação de cidadãos dentro do seu território nacional", refere o PSD.

Para os social-democratas, "a Região Autónoma da Madeira, parte integrante do Estado Português, não pode, em circunstância alguma, ser equiparada a qualquer outro destino regular da TAP - europeu ou internacional, apenas orientado por uma estratégia puramente comercial e centrada no lucro". Uma visão que "tem sido constantemente infligida pela TAP, apesar de ser uma companhia aérea nacional para a qual os Portugueses, incluindo os Madeirenses, já foram chamados a injetar mais de mil milhões de euros para a capitalizar, tendo para a mesma, o Orçamento de Estado para 2022, inclusive, previstos mais 990 milhões de euros, conforme foi assumido pelo Ministro de Estado e das Finanças, João Leão".