• Capa_abril_Site-100.jpg

A deputada Cláudia Perestrelo afirmou, hoje, numa intervenção na Assembleia Legislativa da Madeira que, desde a primeira hora da pandemia, “o Governo Regional assumiu um papel proativo e determinado no que se refere à contenção epidemiológica do vírus SARS Cov 2”.

Segundo Cláudia Perestrelo, “desde o anúncio do plano de contingência regional para a Covid-19, as primeiras medidas de contenção, o primeiro confinamento, a implementação de um dispositivo de testagem no aeroporto, a quarentena em unidades hoteleiras, a composição de equipas de saúde pública para monitorizar os doentes infetados e proceder à vigilância dos casos suspeitos, a criação de serviços para cuidar dos doentes mais graves, o recolher obrigatório, a dupla testagem aos viajantes, a adoção de medidas que visaram restrições da socialização, entre outras, tudo foi feito para zelar um bem maior: a saúde pública”.

Ainda assim, “volvido mais de ano de luta, o Governo Regional continua a adotar medidas inovadoras, nesta senda medidas que visam manter a segurança no nosso território e permitir que a economia volte a respirar e que a nossa vida social vá se compondo de uma forma progressiva e responsável”.

E, a título de exemplo, referiu que esta semana foi notícia que, graças à criação de um corredor verde, a Região já recebeu cerca de dois mil visitantes, através da apresentação de uma declaração de doente recuperado ou exibição do cartão de vacinação da Covid 19. Uma medida que disse ser importante e que “certamente irá atrair turistas de uma forma segura para voltarmos a alavancar o destino Madeira e voltar a projetar o nosso arquipélago no mundo, condição indispensável para a tão desejada recuperação económica e social”.

Outra medida inovadora, na sua opinião, foi o anunciado projeto piloto que visa a utilização de cães farejadores no aeroporto internacional Cristiano Ronaldo. Trata-se, conforme adiantou, “de uma nova metodologia de rastreio e deteção do vírus SARS Cov 2, com provas dadas a nível internacional e que se encontra em fase de preparação na nossa Região, conforme anúncio público do presidente do Governo Regional”.

Além disso, e sempre tendo em vista a manutenção pela saúde pública, iniciou-se a testagem massiva da população, que arrancou de forma voluntária e organizada no dia 26 de abril.

Para a deputada, “este é sem dúvida um passo muito importante no nosso futuro coletivo“. Na prática, afirmou, “esta iniciativa do Governo Regional, em parceria com a Associação Nacional de Farmácias (ANF) e a Ordem dos Farmacêuticos, através da disponibilização de testes rápidos de antigénio, de forma gratuita a todos os residentes na Madeira e Porto Santo, com mais de 16 anos, num total de dois testes gratuitos por cidadão em cada mês, é precisamente a forma responsável com que devemos enfrentar esta pandemia”.

Nesse sentido, realçou, “a adesão da população a esta medida é muito importante, uma vez que a testagem regular é essencial para o controlo da pandemia, sobretudo na identificação de casos assintomáticos de forma ativa”. Nesta primeira fase, sublinhou, são cerca de 22 as farmácias aderentes, mas há a pretensão de alargar o número de estabelecimentos aderentes, numa verdadeira estratégia de descentralização e de disponibilização de testes gratuitos. Tudo dependerá da adesão da população.

No que concerne ao plano regional de vacinação contra a Covid-19, Cláudia Perestrelo, salientou que, “como tem sido reconhecido pelos vários sectores e por várias forças partidárias, e bem, ela tem decorrido a bom ritmo e é motivo de orgulho para a nossa Região”.

“A forma extremamente profissional e hercúlea com que todos os profissionais de saúde têm levado a cabo esta campanha, nomeadamente os enfermeiros, permitiu que já se administrassem mais de 81 mil vacinas na nossa Região, sendo que com o atual ritmo, conforme foi anunciado na passada segunda–feira, e a se manter o ritmo de entrega de vacinas à região, até o final de junho, 50% da população madeirense já terá sido inoculada pelo menos uma vez contra a Covid-19”, disse.

“Agora que no nosso território se vislumbra um rasgo de esperança”, a deputada apelou para que “cada qual saiba ser um verdadeiro agente de saúde pública, adotando comportamento que permitam a manutenção da socialização, apesar das restrições mais ligeiras”.

“Que cada um faça a sua parte para que o todo seja fortalecido e para que possamos vislumbrar a verdadeira retoma social e económica que todos nós almejamos”, acrescentou.