• Capa_abril_Site-100.jpg

O deputado Gualberto Fernandes afirmou, hoje, numa intervenção na Assembleia Legislativa, que “a Madeira é a região em Portugal que mais investiu em habitação social, no pós 25 de abril: Portugal tem 3 % de habitação social, enquanto que, na Região Autónoma da Madeira, 25% da população usufruiu das políticas publicas de habitação”.

Segundo o deputado, “com a Autonomia, o Governo Regional, tomando conhecimento da difícil situação que se vivia, meteu mãos à obra no sentido de tirar muita gente das barracas, furnas e/ou habitações com 2, 3 ou mais famílias”.

Atualmente, realçou, o Governo Regional, através da empresa Investimentos Habitacionais da Madeira, apoia 4.397 famílias, tendo à volta de 17 mil Madeirenses e Porto-Santenses como inquilinos.

O deputado referiu que este esforço na construção de habitação social não se cingiu somente ao Funchal, onde foram contruídos 2989 fogos, mas um pouco por toda a ilha, dando os exemplos de Câmara de Lobos (872 fogos), Machico (387 fogos) e Santa Cruz (482 fogos).

Gualberto Fernandes disse ainda que, últimos anos, desde 2018, a Investimentos Habitacionais da Madeira já apoiou 339 famílias no valor de 1,6 milhões de euros.

Deu o exemplo do Programa de Recuperação de Imoveis Degradados (PRID) que beneficiou 200 famílias e o grande esforço que tem sido feito no sentido de reabilitar o parque habitacional existente, não só para a sua manutenção e conservação, mas também para dotá-lo de melhor qualidade habitacional, usando materiais atuais, novos e que, pelas suas características específicas, tornam os prédios mais confortáveis, tanto em termos térmicos como acústicos.

Neste cenário o deputado sublinhou que “construir 5 mil fogos desde o início da Autonomia foi pensar primeiro nas pessoas e principalmente nas mais necessitadas”, acrescentando que “reabilitar o parque habitacional existente foi uma 2ª fase desta grande obra social que este Governo Regional está a levar a cabo em todos os bairros sociais da Região”.

“Quando vemos prédios antigos a serem dotados de infraestruturas para a mobilidade, quando assistimos à substituição de elevadores, quando os espaços exteriores são recuperados e alindados, temos a certeza que o Governo Regional preocupa-se primeiro com as pessoas”, disse.

Da mesma forma, continuou, “quando o Governo Regional retirou mais de 30 mil m2 de amianto das coberturas dos prédios, quando as fachadas são cobertas com capoto, quando as coberturas são substituídas e complementadas com placas de isolamento térmico e acústico, isto é por em primeiro lugar as pessoas”.

Gualberto Fernandes salientou, contudo, que a realidade atual obriga a novas necessidades, sendo nesse contexto que surge o novo projeto “PRAHABITAR”, que vem dar apoio público para a promoção de aquisição ou arrendamento de habitação para residência permanente, para aqueles agregados não dispõem da totalidade de meios financeiros para essa aquisição ou arrendamento.

“É uma fase difícil esta que atravessamos e é quando as pessoas mais precisam que vemos a capacidade de resposta do nosso Governo Regional, não é como o Governo da Republica que anda há 3 meses a engonhar a solidariedade para com a Madeira e os Madeirenses”, afirmou.