• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

A deputada Claúdia Gomes lembrou hoje o papel das micro-empresas na economia nacional e regional e lamentou que, se não fosse a intervenção do PSD, os  sócios-gerentes destas empresas, e muitas vezes os únicos trabalhadores, não teriam acesso ao regime 'lay-off', no âmbito da medidas de apoio à economia, resutantes da crise provocada pela pandemia.

"O pacote de apoio à economia, desenhado pelo Governo da República, não previa qualquer ajuda para os sócios-gerentes", referiu a deputada, salientando que muitos foram as reivinidcações para que esta injustiça gritante fosse corrigida, tendo, desde a primeira hora, o PSD um papel fundamental para a resolução desta questão.

"Foi pela mão do PSD que esta questão foi levantada, tendo sido proposto na Assembleia da República que o sócios-gerentes das micro e pequenas empresas pudessem usufruir de apoio extraordinário do 'lay-off' simplificado, proposta inicialmente rejeitada, com os votos contra do PS".

A deputada lembrou que o PSD voltou a apresentar outra proposta em sede do Orçamento Suplementar, a qual foi finalmente aprovada.

É, por isso, segundo Cláudia Gomes, "mais do que justo, o reconhecimento do papel preponderante do PSD na resolução das questões relacionadas com esta temática, em prol, dos sócios-gerentes das empresas, das famílias e da economia do nosso país".

"Uma vez mais, na hora da verdade, na hora de fazer a diferença, foi o PSD que esteve novamente à frente".

Cláudia Gomes salientou que o nosso tecido empresarial é composto maioritariamente por micro empresas, onde os sócios-gerentes são trabalhadores. Também eles, continuou, pagam impostos como os restantes trabalhadores e têm também família e casa para sustentar.