• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

O deputado Bernardo Caldeira afirmou hoje que "o Porto Santo tem sido uma prioridade deste Governo Regional, desde 2015", e, na passada segunda-feira, uma vez mais cumpriu com o Porto Santo.

"A partir do dia 1 de junho de 2020, após revisão do Subsídio Social de Mobilidade entre a Madeira e o Porto Santo, o passageiro, que assim entender, pode efetuar o desconto do bilhete no acto da compra", salientou, lembrando que este foi um compromisso do Governo Regional assumido em abril do ano passado, que agora se encontra em vigor.

Para Bernardo Caldeira, "tendo em conta tudo o que temos vivenciado nos últimos tempos devido à pandemia Covid-19, com todos os constrangimentos e cancelamento de operações, esta medida dificilmente encontraria melhor timing para a sua implementação".

O deputado referiu que a criação do subsídio social de mobilidade foi um compromisso e um dos objectivos estratégicos deste Governo Regional, com o objetivo de esbater a sazonalidade da Ilha do Porto Santo e estimular a economia local e se a sua concretização "foi reconhecida por todos os partidos como um sucesso e uma excelente medida do Governo Regional", a concretização "deste importantíssimo passo, em que o desconto é feito no momento da aquisição do bilhete, merecerá também unanimemente o elogio de todas as bancadas parlamentares".

"Esta é a prova de que quando existe compromisso, quando a palavra é honrada, quando existe uma real vontade política, as coisas acontecem. É assim a ação política do Governo Regional da Madeira, liderado por Miguel Albuquerque, contrastando com o Governo da República que apresenta zero soluções para as questões da Região Autónoma da Madeira. Apenas falsas promesas!"

Com esta medida, adiantou o deputado, pretende-se facilitar a vida aos passageiros, minimizando a necessidade de se dirigirem aos serviços para efeitos de reembolso, e, mais importante, diminuir o esforço financeiro dispensado por todos aqueles que escolhem a Ilha do Porto Santo como destino das suas férias, retiro ou mesmo fim-de-semana.

"É esta a forma de cção política que define a forma de ser do PSD Madeira. Promete, cumpre e executa. Vamos assim ao encontro dos anseios das populações, que nesta medida beneficia os residentes da Ilha da Madeira, que procuram o Porto Santo todo o ano, assim como os residentes na Ilha do Porto Santo, que tanto prazer têm em recebê-los."

De acordo com Bernardo Caldeira, desde a implementação do subsídio social de mobilidade em 2016, até maio deste ano, foram processados 161 Mil processos de reembolso, resultando num investimento de 3,8 Milhões de Euro, num investimento que foi realizado entre os meses de outubro e junho, "ficando bem patente o sucesso desta medida no combate à sazonalidade".

Porém adianta, o Governo Regional pretende ir mais longe: "Num ano reconhecidamente difícil para todos, assim que começou a desenhar-se a crise pandémica, e apercebendo-se das suas consequências nefastas para o turismo da Região Autónoma da Madeira, o Governo Regional, juntamente com as entidades de poder local da Ilha do Porto Santo, colocaram em cima da mesa a possibilidade de, a título excecional, estender o subsídio social de mobilidade todo o ano, ou seja, incluir os meses de julho, agosto e setembro do corrente ano. A medida foi aceite de imediato, pois era imperativo limitar o impacto resultante da actual crise pandémica, incentivando assim que mais madeirenses procurem o Porto Santo, apoiando desta forma todo o tecido empresarial da Ilha e minimizando o impacto da redução de operações vindas dos mercados nacionais e internacionais."

Ou seja, "oGoverno Regional não vira a cara à luta, procura respostas e apresenta soluções que correspondem aos anseios da sua população".

Já outros, acrescenta o deputado, "não podem dizer o mesmo, pois os madeirenses não se esquecem das tristes e ridículas figuras feitas por um determinado partido, que aos pulos num palco em Machico, prometeram tudo antes das eleições e nada fizeram".

Prometiam, finalmente, a revisão do subsídio de mobilidade aérea, mas até agora continua enfiado numa gaveta da Assembleia da República, onde está desde 2016. Prometeram o ferry já em Janeiro de 2020, direto a Lisboa, mas até agora nada.

Ao invés, afirma, "o Governo Regional Promete, cumpre, executa".

Bernardo Caldeira ressalvou que a implementação da atribuição do subsídio social de mobilidade nos meses de julho, agosto e setembro, corresponderá a um investimento por parte do Governo Regional superior a 2,2 Milhões de Euros, e recordo novamente que o desconto será efetuado no ato da compra dos bilhetes.