• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

O líder parlamentar do PSD, Jaime Filipe Ramos, afirmou hoje, que o PS, através de Paulo Cafôfo, mente, repete a mentira e ainda goza na cara do povo.

"Há que respeitar as eleições. Os senhores não gostaram do resultado das eleições. Querem escolher pelo povo. O povo escolheu o PSD e o CDS para governar. O PS não governa, tem de respeitar os resultados eleitorais. Se o PSD e o CDS governam, há que haver respeito institucional. Os senhores não têm respeito pelo povo. Gozam na cara do povo."

Numa intervenção, antes do período da ordem do dia, na Assembleia Legislativa da Madeira, Jaime Filipe Ramos afrimou que o "PS assume que o seu Primeiro-ministro manipula as ações do Estado a favor do partido. Um partido que tem o desplante de meter na comunicação social aquilo que é formal. Ou seja, há uma manipulação da causa pública a favor do PS."

Na véspera da discussão da suspensão da Lei das Finanças Regionais, na Assembleia da República, uma iniciativa que resulta da insistência do PSD, e no dia em que o Paulo Cafôfo é tido como porta-voz do Governo da República, em notícia do Diário de Notícias, na qual é anunciado que 'Lisboa autoriza financiamento de 500 milhões', o líder parlamentar denunciou a estratégia do Governo da República ao ceder na suspensão da lei de Finanças Regionais, mas recusar a moratória, como forma de levar a Madeira a pagar mais ao Estado. "O que agora é proposto é que a Região contraía dívida para pagar ao Estado português porque este quer receber os 100 milhões dos encargos do PAEF. Ou seja, esta dívida, que agora alguns vêm sugerir, terá de ser subtraída não através de uma moratória, mas de um pagamento direito da Região ao Estado português."

Jaime Filipe Ramos denunciou ainda as contradições do deputado Paulo Cafôfo, que "muda de opinião ao sabor do vento". "Aquando do primeiro pedido para o levantamento da Lei das Finanças Regionais, o que é que foi respondido pelo grupo parlamentar do PS, através do seu deputado Paulo Cafôfo? Diz o seguinte: «endividamento, não! O grupo parlamentar do PS afirma uma opinião negativa relativamente à possível suspensão da Lei das Finanças Regionais. Para os socialistas, a suspensão seria muito questionável. Voltar ao caminho da dívida não é solução. Este é um dos princípios de que nós não abdicamos». 

Curiosamente, é este mesmo partido que agora recua na opinião, já tendo anunciado que vai votar a favor da suspensão da Lei das Finanças Regionais, e que, agora, anuncia, substituindo-se às entidades oficiais, a autorização de um financiamento de 480 milhões de euros. "O Partido Solicialista que hoje vem falar de mais dívida é aquele que há dois meses dizia que não", disse Jaime Filipe Ramos.

Ou seja, o "PS mentiu" e, agora, "apercebendo-se da derrota, recuaram para que não ficassem isolados no âmbito parlamentar. Essa é a única razão para que o PS tenha recuado e o Governo da República também".