• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

O líder parlamentar do PSD, Jaime Filipe Ramos, destacou, hoje, na reunião da Comissão Permanente, a "coragem e o arrojo" com que o Governo Regional tem lidado com a situação do covid-19 na Madeira, adequando as respostas à evolução epidemiológia.

"Acho que tem sido notório que a Região tenta dar um passo à frente naquilo que são as medidas para travar este vírus", disse, salientando que é necessário que também a República avance com medidas mais restritivas. "Não há recuperação social nem económica se o estado também não o fizer porque temos de esperar muito mais tempo para que passe no todo nacional", referiu.

Impõe-se, assim, segundo o líder parlamentar do PSD, "uma visão solidária" na abordagem a este problema.

Jaime Filipe Ramos salientou também "que todos os madeirenses têm demonstrado um grande sentido de responsabilidade".

"Não é, provavelmente, alguma minoria que não tem acatado, em devida condição, aquilo que têm sido as orientações das autoridades de saúde que põe em causa a maioria esmagadora dos madeirenses que têm manifestado este sentido de responsabilidade e é assim que temos de continuar a fazer: a promover aqueles que estão a cumprir e a zelar pela saúde não só dos seus familiares e de si próprios, mas também dos restantes elementos da sociedade e isso é fundamental por este é um momento em que todos nós contamos."

Jaime Filipe Ramos salientou que não há "uns mais importantes ou mais especiais do que outros, todos somos importantes para travar este fenómeno que, infelizmente assola não só a nossa Região, como o país, a Europa e o Mundo".

Ainda assim, realçou a necessidade de destacar os profissionais de saúde que estão na linha da frente, assim como aqueles que têm estado a garantir outras áreas como a da segurança, alimentar, entre outros.

No que diz respeito aos partidos, Jaime Filipe Ramos afirmou que o papel destes, nesta altura, é o de "apoiar e não o de confundir a opinião pública". "Acho que é importante que os partidos, os dirigentes e todos aqueles que têm um papel responsável não façam um ruído superior", sublinhou, acrescentando que a informação deve "ser clara e objetiva", sem que sejam criados alarmismos excessivos.

"Agora é hora de remarmos todos para o mesmo lado", adiantou, salientando que, no fim, todos vamos perder alguma coisa, seja liberdade, rendimentos ou até mesmo, ou até mesmo familiares, sendo esta uma situação que se quer evitar ao máximo.

O líder parlamentar lamentou ainda que se tenham passado duas semanas sem que tenha havido uma resposta do Governo da República relativamente à flexibilização da Lei das Finanças Regionais, de modo a que a Madeira possa ultrapassar algumas barreiras que hoje a limitam na resposta às necessidades da população e das empresas, tendo igualmente reforçado a necessidade de sere ampliados os apoios às empresas, em particular às mais pequenas, de modo que possam fazer face a esta crise.

Nesta reunião da Comissão Permanente foi aprovado,por unanimidade, um voto de louvor, “Aos que combatem a pandemia e trabalham solidariamente pela comunidade na Região Autónoma da Madeira”.