• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

O deputado Bruno Melim afirmou hoje, numa intervenção antes do período antes da ordem do dia, na Assembleia Legislativa da Madeira, que a rejeição da proposta para o aumento do financiamento às universidades da Madeira e dos Açores, em sede da discussão na especialidade do Orçamento do Estado, "demonstra que os estudantes portugueses dos territórios insulares são vistos de forma menos digna do que os estudantes do restante país".

Contudo, dentro desses, "há uns que são mais dignos do que outros, pois merecem acordos laterais", ressalvando que "esta é uma atitude inconcebível".

"Apesar de a Universidade da Madeira ter conseguido fixar grandes académicos e desenvolver projetos de enorme relevância, o Governo de António Costa considera que a Madeira, embora região ultraperiférica, não carece de qualquer apoio", disse, acrescentando que a "recusa de 1.2 milhões de euros anuais à UMa, até 2023, é desinvestir nos jovens que escolhem a Madeira para se fixar".

Porém, o deputado assegurou que, "ao contrário de outros que se arrogam defensores da Madeira e da sua juventude, na Assembleia da República", a JSD e o grupo parlamentar do PSD não vão ficar parados e apresentarão no Parlamento madeirense um requerimento de uma audição parlamentar ao reitor da Universidade, mas também ao reitor da Universidade dos Açores e ao Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, além de um projeto de resolução para exigir o financiamento da Universidade da Madeira por parte do Estado, "dado que para matérias iguais não faz qualquer sentido a fórmula de cálculo ser outra".