• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

"O PSD, na Madeira, foi a força política decisiva na afirmação da nossa vontade de caminharmos pelo nosso próprio pé, de sermos o que, em consciência, fosse determinado pelo nosso povo, de não sermos comandados à distância", afirmou hoje o deputado Miguel de Sousa, na sessão solene do Dia da Região, realizada no Fórum Machico.

Em nome do grupo parlamentar do PSD, Miguel de Sousa salientou que, hoje, muitos mais madeirenses encontram na Autonomia a base do nosso sucesso coletivo", recordando que "foram duros os primeiros passos de afirmação autonómica, mesmo com evidente ameaça física". Ainda assim, "o PSD não só convenceu os madeirenses das vantagens da Autonomia, sobre o centralismo de Lisboa, como trouxe ao movimento os que chegaram a pensar que Portugal não era solução de continuidade de Pátria aceitável". Hoje, sublinhou, "há mais separatistas em Lisboa do que na Madeira".

O deputado fez também um retrato do "país de 'Costa' a 'Costa'" e da "Geringonça" e denunciou as práticas abusivas da TAP no tarifário da Madeira, cobrando mais aos madeirenses do que cobra em voos de longo curso para "conseguir o máximo de subsídio", o que disse ser "um assalto ao dinheiro público", com a cumplicidade do Governo de António Costa.

Miguel de Sousa elogiou ainda o rigor que tem pautado a governação do PSD, que "não é acompanhado pelas promessas sem conta" de quem está na oposição e, por isso "tudo pode prometer". "Ontem foram 100, para a semana há mais", disse.