• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

O deputado Rui Abreu afirmou hoje que "a Câmara do Funchal não é propriamente um exemplo-mor de boas práticas ambientais". Um exemplo disso, adiantou, é o que se passa com a ETAR. "Há seis anos que o Partido Socialista está na Câmara do Funchal e há seis anos que não encontra uma solução concreta para a Estação de Tratamento de Águas Residuais do Almirante Reis."

Numa iniciativa do Grupo Parlamentar no local, o deputado salientou que, "reconhecendo a importância desta obra para os funchalenses e para a cidade", o Governo Regional vai comparticipar a obra a 100%, com 85% do valor financiado pelos fundos comunitários e assumindo os restantes 15%, que deveriam ser da responsabilidade do Município.

Rui Abreu sublinhou que "não vale a pena" a Câmara vir atribuir as culpas às vereações do PSD porque "seis anos é tempo mais do que suficiente para resolver um problema destes".

O deputado afirmou que esta "inércia", "desleixo" e "incompetência" da Câmara poderá levar a penalizações da União Europeia, tal como já aconteceu com o município de Matosinhos, que foi multado em três milhões de euros, mais oito mil euros dia, até à obra estar concluída.

Rui Abreu lembrou ainda que os orçamentos da Região para 2016 e 2017 previam verbas de quase dois milhões de euros para que o Governo Regional assumisse a parte que cabe à Câmara do Funchal.

Outro exemplo das práticas ambientais da Câmara é o da Praia do Gorgulho, "que ainda esta semana voltou a ter despejo de esgoto a céu aberto para o mar". Isto apesar de ter sido dito pelos responsáveis da autarquia, há poucos dias, que já tinha sido identificado o problema e a sua origem. "Um cartaz nada digno para uma cidade como o Funchal e para a Madeira", acrescentou.