• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

A deputada Josefina Carreira lembrou, hoje, "que os madeirenses esperam há três anos pela revisão do subsídio social de mobilidade, uma obrigação legal que o Governo da República continua a não cumprir".

Numa iniciativa realizada pelo Grupo Parlamentar, junto ao Palácio de São Lourenço, a deputada salientou que "são três anos a bloquear este dossier" e a "impedir os madeirenses de acederem ao subsídio de mobilidade de forma mais justa e mais célere".

"Como é possível que o senhor Primeiro-Ministro tenha mais disponibilidade para vir à Madeira promover os seus candidatos do que para resolver os problemas da Região que estão à sua responsabilidade?"

Josefina Carreira recorda que António Costa "vem novamente à Madeira e tem mais uma oportunidade para se explicar perante os madeirenses e para resolver, de uma vez por todas, esta injustiça que impende sobre a Região". Assim, acrescentou, a pergunta que fica é: "Será desta?"

A deputada afirma que os "madeirenses já estão cansados do 'show-off', das desculpas e dos anúncios vazios deste Governo socialista e o que exigem, como é do seu direito, é que ele tome medidas concretas. É mais do que tempo de o Sr. Primeiro-ministro passar das palavras aos atos. Nada o impede".

Aliás, recorda, perante a inação da República, a Assembleia Legislativa da Madeira aprovou e apresentou à Assembleia da República, em 2017, uma proposta de alteração ao subsídio social de mobilidade e, para além de ter sido aprovada na generalidade, com o voto contra do PS, nada mudou".

Josefina Carreira salienta, por isso, que "os madeirenses não podem continuar a compactuar com esta situação", reforçando que "este dossier está nas mão do Partido Socialista há três anos". Impõe-se dizer, portanto, "quanto mais tempo vão esperar para que esta situação seja resolvida?"

A deputada deixou ainda a garantia de que, "enquanto o subsídio de mobilidade não for revisto, o PSD vai continuar a denunciar este bloqueio", porque foi "eleito para defender os interesses dos madeirenses". "E é isso que vamos continuar a fazer", disse.

Vídeo da iniciativa