• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

O grupo parlamentar do PSD considera que, com a aprovação do Orçamento do Estado para 2019, é possível chegar a "uma conclusão preocupante", uma vez que veio "comprovar que o Primeiro-ministro não é uma homem de palavra". Quem o afirmou foi o deputado João Paulo Marques, numa conferência de imprensa, realizada em Santa Rita, junto ao local onde será construído o novo hospital da Madeira.

"Este Orçamento do Estado foi uma oportunidade perdida para que o Primeiro-ministro, António Costa, pudesse honrar o compromisso que assumiu com a Madeira e com os madeirenses, ou seja, de apoiar em 50% a construção e o equipamento do novo hospital", disse.

João Paulo Marques sublinha que, para além de ser um Orçamento que lança a "incerteza sobre qual será o apoio que o Estado dará à Madeira, ainda tem um Partido Socialista que não só não apresenta propostas relativas ao novo hospital como ainda vota contra todas aquelas que indicavam valores concretos para o apoio do Estado a esta obra que será decisiva para o futuro da Madeira".

Assim, salienta o deputado, "a questão que se coloca hoje em dia, e aquilo que os madeirenses querem saber, é se o PS ainda considera que o novo hospital é uma obra importante para o futuro da Madeira".

"Esta questão é relevante porque, se o discurso político dos socialistas na Madeira tem sido nesse sentido, o que é facto é que as suas atitudes na República vão precisamente no sentido contrário, ou seja, o PS tudo tem feito, desde a primeira hora para dificultar o novo hospital e para que o mesmo não seja uma realidade", referiu, realçando que é importante que "os socialistas esclareçamde uma vez por todas se estão contra ou se estão a favor do novo hospital da Madeira".