• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

A deputada Sara Madruga da Costa confrontou a Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa na Assembleia da República com “o bom exemplo do Governo Regional da Madeira no que diz respeito ao atendimento dos cidadãos na Loja do Cidadão da Madeira e com o recém-criado e inovador balcão “Brexit”.

De acordo com Sara Madruga da Costa, “este bom exemplo contrasta com a situação vivida por muitos cidadãos no continente, onde o atendimento nos serviços públicos está pior do que nunca, com longas e intermináveis filas, senhas esgotadas ou cidadãos que aguardam mais de 5 meses para tratar do cartão de cidadão”.

“Não conseguimos perceber porque motivo o Governo Central não seguiu o bom exemplo do Governo Regional da Madeira nesta matéria e não criou uma resposta específica para acudir às circunstâncias excepcionais e antecipar os impactos do Brexit no continente”.

Coube a Sara Madruga da Costa, em representação do PSD e na última audição regimental a Mariana Vieira da Silva, fazer o diagnóstico do atendimento dos serviços públicos no continente “que está pior do que nunca” e o balanço da inação do Governo nesta matéria: “O Governo da República descurou, durante os últimos quatro anos, o investimento público que é essencial para a modernização administrativa do Estado, não antecipou os impactos do Brexit e das alterações à Lei da nacionalidade e as consequências estão a ser sentidas por todos os cidadãos”.

A deputada madeirense referiu, na sua intervenção, alguns exemplos das mais de 500 queixas registadas no Portal da Queixa do IRN que comprovam a situação caótica que se vive nos serviços públicos no continente:

“A Maria está sentada no IRN sem ter a senha que precisa para fazer o cartão de cidadão. Quando chegou às 09h20 já não havia senhas para o cartão de identificação. Assim que as portas abrem começa a corrida às senhas que se esgotam rapidamente. O João tentou o agendamento prévio em Vila Franca de Xira, mas a melhor marcação que conseguiu foi daí a um mês e vai ter de conduzir todos os dias com o cartão de cidadão caducado. A Ana chegou às 08h30 e apanhou a senha 120, após cinco longas horas de espera foi finalmente atendida. O José tentou diversos locais no mesmo dia, sem qualquer sucesso, Queluz às 08h, Odivelas às 09h30, depois Amadora e Agualva Cacém, tentou inclusivamente e por diversas vezes a Fontes Pereira de Melo ora de manhã, ora de tarde e não conseguiu. A Joana ligou para um número de telefone, recebeu uma mensagem que a remeteu para um email que a mandou ir a um site, só tem vaga para o cartão de cidadão daqui a cinco meses. Para fugir às filas intermináveis e tratar rapidamente do cartão na loja do cidadão, o Manuel decidiu comprar um bilhete de avião para o Funchal, foi atendido rapidamente e conseguiu”.

“Estes são”, de acordo com a deputada social-democrata, “alguns exemplos das mais de quinhentas queixas que deram entrada no Portal da queixa do IRN e que comprovam que o Governo socialista falhou porque não conseguiu melhorar o atendimento dos portugueses nos serviços públicos”.