• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

A deputada Sara Madruga da Costa confronta hoje a ministra da saúde relativamente ao abandono dos serviços da República na Região.

"O caos e o desnorte do Serviço Nacional de Saúde é de tal ordem que o Governo já nem assume as suas responsabilidades em serviços por si tutelados, como é o caso das forças de segurança", afirma a deputada.

Sara Madruga da Costa quer saber porque é que o Governo Socialista "continua sem pagar o que deve à Madeira", lembrando, por exemplo, a dívida existente ao nível dos subsistemas de saúde, que já ultrapassam os 18 milhões de euros, mas quer, sobretudo, apurar os motivos para que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) deixe agora também de pagar a comparticipação dos medicamentos dos agentes da PSP na Madeira.

"Esta situação é inadmissível. É inadmissível que os polícias madeirenses não tenham os seus medicamentos comparticipados pelo SNS e, por isso, vamos exigir que o Governo socialista assuma as suas responsabilidades nesta matéria, mas também relativamente a todos os serviços da República na Região e que pague o que deve", explicou Sara Madruga da Costa.

Para a deputada madeirense, "não faz sentido que tenha de ser, uma vez mais, o Governo Regional a assumir as responsabilidades que são do Governo Central".

Sara Madruga da Costa vai também exigir a Marta Temido, na última audição regimental da atual legislatura, que explique, de uma vez por todas, as contas da quota parte da República no financiamento do Novo Hospital da Madeira e a razão do atraso na concretização da promessa de António Costa numa infraestrutura que é fundamental para a Região.

Intervenção