• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

A deputada Rubina Berardo lamentou, hoje, no debate sobre “Solidariedade europeia e proteção civil”, agendado pelo PSD, que os 30,5 milhões de euros prometidos pelo Governo da República, no âmbito do POSEUR, nunca tenham chegado à Madeira.

"Em agosto de 2016, a Madeira viveu autênticos momentos de aflição e dor com os incêndios em várias frentes e em diferentes concelhos, causando vítimas mortais e prejuízos avultados quer humanos, quer materiais, colocando em risco toda a segurança no espaço urbano. Na sequência desta catástrofe, o Governo da República assumiu para com a Região Autónoma da Madeira um reforço das verbas do Fundo de Coesão Europeu, de forma a recuperar as perdas da população e em função da necessidade imperiosa de ser garantida a segurança de vários taludes e encostas sobranceiras a estradas regionais e municipais, cuja estabilidade ficou em grave risco como consequência dos incêndios", lembrou a deputada madeirense.

Porém, adiantou, o Governo recuou nesse apoio, "num total desrespeito com a Madeira e com os Madeirenses", ainda mais num assunto relacionado com "a segurança da nossa população".

Rubina Berardo salientou que os Madeirenses exigem saber a verdade, designadamente o porquê do então Ministro das Infraestruturas, e agora cabeça-de-lista socialista Pedro Marques, ter bloqueado aquilo que prometeu à Madeira.

"São incongruências atrás de incongruências que só se justificam, lamentavelmente, pela agenda eleitoralista do PS", disse, referindo ser "incompreensível que a União Europeia consiga agir de forma mais rápida, ao ter acionado o Fundo de Solidariedade da UE para a Madeira no pós-incêndios, do que a própria Republica".

Para a deputada, neste debate, "ficou evidente que os partidos que apoiam António Costa - PS, BLOCO e PCP - mais não são que uma lavandaria política para branquear a atuação do governo socialista, em vez de exigirem maior transparência e melhor execução das verbas da solidariedade europeia na sequência dos incêndios em Portugal".