• Capa_abril_Site-100.jpg

Os Deputados do PSD na Assembleia da República lamentam que mais uma vez se adie a construção da esquadra da Ponta do Sol.

Numa iniciativa conjunta com a concelhia do PSD, a deputada Sara Madruga da Costa lembrou que, "enquanto parece que alguns só acordaram agora para o problema da esquadra da PSP da Ponta do Sol, o PSD já está desde 2015 na Assembleia da República a reivindicar uma nova esquadra.

Sara Madruga da Costa salientou que, após muito trabalho e muita pressão", o PSD conseguiu desbloquear este assunto e colocar a esquadra da PSP da Ponta do Sol nas prioridades do Governo da República.

O Governo Central e a Câmara Municipal da Ponta do Sol anunciaram que o problema estava resolvido e a obra avançaria no início de 2019, mas, infelizmente e uma vez mais, ainda não avançou e o Governo da República e a Câmara Municipal demoraram mais de um ano para chegar à conclusão de que a casa de função dos magistrados não era o local mais adequado.

"Já percebemos que há uma estratégia comum de Lisboa e da câmara municipal da Ponta do Sol para ganhar tempo também neste dossier, para adiar a resolução deste problema", afirmou a deputada.

Para o PSD, já se perdeu muito tempo, por isso vai continuar a pressionar o Governo da República para resolver rapidamente este assunto.

"A esquadra da PSP da Ponta do Sol é uma bandeira do PSD, é uma bandeira dos deputados na Assembleia da República, mas também dos nossos autarcas", sublinhou Sara Madruga da Costa.

Também o PSD da Ponta do Sol, através do presidente da concelhia, Juvenal Silva, lamenta que este anúncio feito pela presidente da Câmara não tenha ainda acontecido e que esta questão tenha "servido principalmente para se fazer propaganda enganosa", porque são vários os anúncios já feitos pela autarca socialista, um deles na sessão solene do Dia do Concelho em que garantiu que a obra estaria no terreno no primeiro trimestre de 2019.

"Sabemos que isso não vai acontecer porque, segundo aquilo que vimos na comunicação social, ainda está a ser analisada uma solução", disse, acrescentando que a possibilidade avançada é o Jardim Municipal. Resta saber, salientou, se será mais um anúncio ou se ainda haverá outras alternativas, lembrando que esta solução carece ainda dos pareceres técnicos do MAI.

Juvenal Silva estranha que não exista qualquer verba para esta construção nem no Orçamento da República nem no Orçamento da Câmara. "Nós sabemos que as obras só se fazem com dinheiro e se não existe o dinheiro duvidamos seriamente que essas obras possam vir a acontecer."

O presidente da Concelhia lamenta ainda que a presidente faça anúncios sem consultar os membros da Assembleia Municipal e dos vereadores da oposição na Câmara.