• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

Os deputados do PSD/M na Assembleia da República congratulam-se com os bons resultados macroeconómicos da Região, com o crescimento das empresas, do emprego, diminuição da dívida, entre outros indicadores positivos da economia, mas consideram “injusto” que o Plano Nacional de Investimento não inclua a Madeira.

“Transformou-se o Plano Nacional de Investimento, de 22 mil milhões de euros, num plano continental”, afirmou Paulo Neves, após uma reunião com a Associação de Comércio e Indústria do Funchal (ACIF).

O deputado salienta que existem projetos em que a Madeira devia estar incluída, seja os que tenham a ver com a energia, com o clima, a mobilidade ou até mesmo com o cabo submarino.

“Existem projetos nacionais em que a Madeira, obrigatoriamente, devia estar incluída e não está”, reforçou, lembrando que estamos a falar de um espaço temporal de 10 anos e de uma quantia de 22 mil milhões de euros.

Paulo Neves sublinhou que a “obsessão” que o Primeiro-ministro diz ter com a Madeira está mais para a “esquizofrenia patológica porque sempre que é para incluir a Madeira em projetos nacionais que envolvam verbas que, justamente, deveriam ser atribuídas à Região, ele faz imensa questão de por a Madeira de lado. E este Plano Nacional de Investimento, de 22 mil milhões de euros, é exemplo disso: "Não inclui a Madeira, o que é injusto porque há projetos nacionais que para serem nacionais deviam incluir também a Madeira”.

Paulo Neves garantiu que o PSD vai continuar a fazer pressão que esta situação seja alterada, referindo que ainda esta semana o Ministro com a tutela do Plano vai estar na Assembleia da República e vai ser confrontado com esta questão.