• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

A proposta de alteração ao Orçamento do Estado para 2019 em relação ao Hospital da Madeira é a única proposta que exige ao Governo da República a totalidade do compromisso assumido com os madeirenses, “é a única proposta que exige ao Governo da República os 50% do financiamento, clarifica o montante global do financiamento prometido e identifica o IVA”, referiu esta manhã a deputada Sara Madruga da Costa, no debate na Assembleia da República sobre o Orçamento do Estado para 2019.

Sara Madruga da Costa lançou, por isso, um repto ao PS e aos partidos que suportam o Governo: “Hoje o PS e os partidos que suportam o Governo têm uma nova oportunidade para corrigir uma injustiça com todos os madeirenses, basta para isso aprovarem a proposta do PSD, a única que clarifica todos os montantes prometidos pelo Governo da República”.

A deputada madeirense criticou ferozmente o Governo da República e as "aldrabices" em torno do novo Hospital da Madeira e da taxa de juro do empréstimo da Região “que continuam, porque em vez de corrigir no Orçamento o financiamento dos 13% para os 50% do Hospital da Madeira e proceder à revisão da taxa de juro permitindo uma real poupança das famílias e das empresas madeirenses, o Governo da República e o PS mantêm tudo na mesma e até agravam a situação exigindo o pagamento antecipado da dívida”.

Sara Madruga da Costa referiu-se ainda à “recente surpresa do Governo da República, em relação ao Hospital da Madeira, ao emitir na quinta-feira passada um alegado esclarecimento sobre o IVA do Hospital que confunde mais do que clarifica e vale de muito pouco porque não é uma norma orçamental”.

A deputada social-democrata teceu também duras críticas ao PS Madeira a quem acusou “uma vez mais de virar as costas e de abandonar os madeirenses, ao apresentar zero propostas ou medidas ao Orçamento para aliviar o garrote imposto pela República”.

1ª Intervenção

2ª Intervenção