• bannerSitePSDM3jan2020.jpg

O deputado do PSD-Madeira encerrou o debate desta manhã na Assembleia da República, sobre o Orçamento de Estado, acusando o primeiro-ministro de ter “engendrado um cerco à Madeira” como forma de punir os madeirenses por terem dado “49 vitórias eleitorais ao PSD e nenhuma ao PS”.

Paulo Neves acrescentou que a atual estratégia de António Costa “vai levar a uma nova derrota eleitoral porque “os madeirenses não dão vitórias a quem não cumpre com as suas promessas nem respeita a Autonomia”.

O deputado social-democrata madeirenses acrescentou que o primeiro-ministro tem uma “atitude irresponsável e injusta” por, com a sua política, “colocar portugueses contra portugueses, no caso portugueses das Ilhas contra portugueses do Continente”.

Paulo Neves disse que “com este Orçamento o governo da República não cumpre com a sua palavra em relação aos madeirenses e deu os exemplos da construção do novo Hospital “não pagando aquilo que prometeu” e com a questão da mobilidade “não exigindo à TAP que baixe as tarifas que são ofensivas”. Também deu o exemplo dos juros que a Madeira paga à República afirmando que “o governo de António Costa prefere ganhar dinheiro com os juros da dívida da Madeira em vez de entregar essa folga financeira para os Órgãos próprios autonómicos decidirem o que fazer com ela”.

O debate do Orçamento de Estado terminou, por parte do PSD, com a intervenção do deputado Paulo Neves porque, como o próprio disse, “a questão da Madeira é uma questão nacional da maior importância”.

 

Vídeo da intervenção