• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Terça, 27 Junho 2017

A candidata do PSD/Madeira à Câmara Municipal do Funchal, Rubina Leal, quer devolver a credibilidade e dignidade à Cidade, que nos últimos quatro anos regrediu, desinvestiu e praticamente estagnou.

“O Funchal não ganhou nada com a mudança. O Funchal mudou para pior”, apontou Rubina Leal, que falava na Convenção Autárquica do PSD após a apresentação dos candidatos às 10 juntas de freguesia da Cidade e à presidência da Assembleia Municipal, que constituem os 10 pilares fundamentais para o sucesso de uma política de proximidade.

Confiante na vitória em outubro, Rubina Leal mostrou-se convicta de que o partido vai ganhar em todas as freguesias do concelho, para que o Funchal volte a ser a Cidade que já foi.

“Quero voltar a ter uma Cidade de vanguarda em múltiplos setores a nível nacional”, disse, lembrando que o Funchal já foi a cidade mais limpa do país, a mais verde e galardoada como familiarmente responsável. “Fomos o 5º melhor município para viver. Fomos a única cidade com recolha seletiva porta-a-porta e com a maior taxa de reciclagem em todo o território nacional. E fomos um dos municípios mais transparentes do país. Hoje ocupamos o lugar 191 do ranking.”

O Funchal, continuou Rubina Leal, tem hoje pouco mais para apresentar relativamente há quatro anos. Um executivo que se desagregou logo no início do mandato, com a presidente da Assembleia Municipal, a vice-presidente da Câmara e dois vereadores a demitirem-se. Nem o próprio PS regional confia na candidatura Confiança, como demonstraram com um voto de protesto no parlamento madeirense.

“Isto, apresar da infernal máquina de propaganda montada pela Câmara. Todos assistimos à exposição diária do que vai ser feito, do que vai ser lançado, de lonas, de telas, de slides, de projeções, powerpoints, conferências e demais tralha de propaganda”, acusou a candidata, perguntando: “Será que alguém acredita que farão em três meses aquilo que não fizeram em quatro anos? Não! Não acreditamos!”

É por tudo isto é que a Cidade precisa do PSD. “Ambiciono uma Cidade que cresça, que seja capaz de captar investimento e de criar emprego. Uma Cidade onde ninguém fique excluído, com lugar para todos. Uma Cidade com qualidade de vida para as suas gentes. Uma Cidade com políticas concretas, que crie equilíbrio entre gerações. Um Funchal para todas as famílias”, referiu, anunciando para “muito em breve” a apresentação da lista de vereadores e do programa eleitoral.

“À estagnação queremos responder com iniciativa. À falta de investimento, queremos responder com dinamismo. À cidade descuidada, queremos responder com dignidade”, referiu, lembrando o seu percurso público. “Sabem que sou uma mulher de causas, que não baixo os braços perante o desafio e a adversidade. Por isso conto com o vosso apoio e com a vossa força, porque a nossa força é a força do Funchal”, disse, acrescentando que estará de “corpo e alma” e com “os dois pés” no município e com os funchalenses. “Sei que o Funchal merece mais”. Por isso, concluiu, é necessário que todos os “companheiros” cerrem fileiras para que o PSD se afirme como o maior partido da Madeira. “Está nas nossas mãos construirmos esse futuro!”