• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quarta, 18 Janeiro 2017

O deputado João Paulo Marques exigiu hoje explicações ao presidente da Câmara do Funchal sobre uma notícia que dá conta de uma sondagem relativa às Eleições Autárquicas, encomendada pelo Município, com vista a apurar a sua popularidade e prever resultados.

"Do nosso ponto de vista, esta é uma situação extremamente grave, a utilização de dinheiros públicos para fazer face a iniciativas de campanha eleitoral", afirmou o deputado, salientando que se trata de uma situação que poderá mesmo constituir crime, uma vez que está a ser usado, "ilegalmente, o dinheiro que é de todos os funchalenses".

Nesse sentido, o PSD vai apresentar mais um requerimento à Câmara do Funchal, na reunião de amanhã, para que se esclareça esta situação e questionar "porque é que a Câmara tem dinheiro para gastar em sondagens eleitorais, mas já não tem quando se trata de apoiar quem mais precisa".

Como é do conhecimento público, o PSD já tinha colocado um conjunto de perguntas à Câmara do Funchal, em relação às quais não obteve respostas. "O presidente da Câmara não tem resposta ou não quer responder. Perguntámos pelo apoio aos medicamentos que a CMF prometeu aos idosos do Funchal, um apoio que não chega à maioria da população mais velha. Perguntámos pelas pessoas nomeadas pelo presidente da Câmara para a empresa Frente Mar e se esta empresa municipal seria uma agência de emprego para os amigos do Sr. Presidente. Mais uma vez, o Sr. presidente da Câmara não quis responder."

Para o deputado João Paulo Marques "este não é o silêncio dos inocentes", é o silêncio de quem usou "indevida e ilicitamente" o dinheiro da cidade do Funchal.