• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Terça, 29 Novembro 2016

Rubina Berardo lamentou o OE de desilusão aprovado hoje na Assembleia da República.

A deputada eleita pelo PSD/Madeira afirma que este Orçamento do Estado para 2017  "começou como desilusão e acabou em desilusão, apesar da oportunidade dada pelas propostas de alteração apresentadas pelos deputados PSD-Madeira".

"Os deputados do BE e do PS-M apoiaram o boicote à Madeira, nunca despindo as suas vestes partidárias, em detrimento da nossa população", sublinhou a deputada, salientando que até votaram contra a proposta do PSD/Madeira sobre o regime Prohabita. "A consequência deste chumbo é clara: 30% das famílias vítimas dos incêndios não poderão aceder ao financiamento Prohabita."

Para Rubina Berardo a rejeição desta proposta é"grave", sobretudo porque teve também a anuência de três deputados eleitos pela Madeira:Carlos Pereira e Luís Vilhena, do PS e Paulino Ascenção, do BE. "Subam às zonas altas do Funchal e expliquem às famílias porque não vão poder reconstruir a casa", aconselhou.

Os deputados do PSD/Madeira apresentaram 21 medidas, mas apenas uma foi aprovada, referente ao imposto especial sobre o consumo de bebidas alcoólicas.

Rubina Berardo lamentou ainda a recusa para ir mais além no financimento do novo hospital, ficando-se com a aprovação da proposta do PS, apenas com  "meio hospital" e também a devolução da sobretaxa de IRS à Região, cujo valor retido pelo Governo da República já ascende a 67,5 milhões de euros.

* Na foto, tirada aquando da deslocação do Presidente da República, um dos lesados com a não aprovação do financiamento do Prohabita.