• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Sexta, 28 Outubro 2016

Os desafios presentes e futuros da Autonomia juntaram, esta quarta-feira, três gerações do PSD/Madeira. O tema do 1º Encontro Intergeracional, que decorreu no auditório São Bento Menni, da Casa de Saúde João de Deus, foi ‘Autonomia hoje, amanhã e sempre’, mas falou-se também do passado.

A Autonomia, lembrou o Presidente do partido, Miguel Albuquerque, foi uma conquista da social-democracia e da democracia cristã europeia. Os valores que nos orientam hoje – Autonomia política, Estado Social e Democracia – não foram conquistas da extrema-esquerda nem do comunismo.

“É bom realçar que o nosso país tem um governo assente numa maioria parlamentar de esquerda e extrema-esquerda mas quem realizou o Estado Social não foi o comunismo nem a extrema-esquerda. Nós nunca defendemos, nem iremos defender, a coletivização dos meios de produção, nem espoliar a riqueza das pessoas para criar uma sociedade subordinada ao Estado”, salientou Miguel Albuquerque, no encontro organizado pela Comissão Política de Santo António.

Uma opinião partilhada pelo ex-presidente do PSD/Madeira, Alberto João Jardim, que também esteve presente na tertúlia, que reuniu antigos e atuais dirigentes do partido e da Juventude Social Democrata.

“A preocupação da social-democracia foi precisamente o contrário: criamos proprietários com o fim da colonia e com o desenvolvimento criamos uma mão cheia de empresários, com outra educação e outra dinâmica. Significa que o Estado não perde a sua missão social, mas que continuamos a apostar na iniciativa individual”, disse Alberto João Jardim, acrescentando a Madeira tem sabido diferenciar e conciliar o setor público e o setor privado.

Olhando para o passado, Alberto João Jardim reconhece que foi um trabalho árduo para aqui se chegar, mas, avisa que o que está pela frente também o será.

Por isso Miguel Albuquerque defende que é fundamental manter o Estado social, e os princípios da equidade e da justiça. “Isso deve ser numa conjuntura completamente diferente daquela que vivemos, porque o mundo está a mudar”, referiu. O presidente do PSD/M acrescentou que “é fundamental percebermos que isso só é suscetível de ser mantido se tivermos crescimento económico e tivermos uma base económica para podermos apoiar e realizar a justiça social.”

Complementando o presidente regional, Jardim realçou a importância da atração de investimento e a criação de riqueza, defendendo uma estabilidade fiscal. “Não se pode continuar num Estado que muda os impostos todos os anos, deve vir para a Constituição o princípio da estabilidade fiscal, nunca se poder, em menos de cinco nos, alterar a estrutura fiscal”.

O 1º Encontro Intergeracional contou com três gerações. A primeira geração do painel foi representada por Alberto João Jardim, Correia de Jesus e Crisóstomo Aguiar, a segunda por Miguel Albuquerque, Sérgio Marques e Rui Santos e a terceira geração por Carolina Silva, Josefina Carreira e Joana Aguiar.