• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Sexta, 22 Julho 2022
“É no período das dificuldades que se vê quem sabe governar”, afirmou, hoje, Miguel Albuquerque, no encerramento das Jornadas Parlamentares PSD-CDS/PP, onde sublinhou que a Madeira enfrentou, com a pandemia de Covid-19, uma das maiores, senão a maior, crise da sua história.
 
O líder social-democrata realçou que, em 2021, tivemos uma crise de saúde pública, social e económica, que fez o nosso PIB cair quase para 9%, lembrando que, na crise de 2009, essa descida ficou-se pelos 4%.
 
Ainda assim, a Região conseguiu ultrapassar esse período mais difícil: “Desbloqueámos apoios multifacetados na área social, na área da saúde. Mobilizámos os profissionais, mobilizámos a população e soubemos, sobretudo, transmitir uma imagem de confiança aos agentes económicos e aos empresários.”
 
Neste momento, reforçou, assistimos à retoma económica e a forma ela aconteceu na Madeira é extraordinária, mas não foi por acaso. “Aconteceu porque nós estimulámos e promovemos as políticas necessárias”, disse.
 
Reconhecendo que para gerir um Governo de coligação é necessário haver confiança, reciprocidade e, sobretudo, compreensão, Miguel Albuquerque referiu que isso tem existido, quer no quadro parlamentar, quer no quadro governativo.
E, numa altura de maiores dificuldades, a coligação, ficou ainda mais coesa. “Governar quando está tudo a correr bem é fácil. Nas dificuldades é que se vê quem é que tem fibra, garra e quem tem determinação para governar bem. Nós fizemo-lo e ultrapassámos esta crise monumental que atingiu a nossa sociedade.”
 
Olhando para o futuro, assumiu como principal desafio as eleições do próximo ano, considerando ser fundamental manter unidade na ação e a confiança mútua, tanto ao nível governativo como parlamentar, e o combate sem tréguas à oposição, cujo trabalho tem sido o de “difundir mentiras” sobre a atuação do Governo.
 
Uma oposição que disse não estar habilitada para defender a Autonomia nem os direitos da população face às ameaças do centralismo.