• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Sábado, 28 Maio 2022

A questão ambiental esteve também em foco nas Jornadas Parlamentardes do PSD no Porto Santo.
Neste aspeto, conforme salientou Bernardo Caldeira, um dos projetos mais ambiciosos e inovadores é aquele que tem por objetivo transformar o Porto Santo na primeira ilha inteligente do mundo, que foi explanado ao Grupo Parlamentar, numa visita à Central de Baterias da Empresa de Eletricidade da Madeira.
“Este projeto “Porto Santo Sustentável – Smart Fossil Free Island” tem como objetivo fazer a transição energética da ilha, através da eliminação dos combustíveis fósseis, afirmando-se como um território amigo do ambiente, com os ganhos que essa realidade terá no ecossistema, nos residentes e naqueles que os visitam”, disse.
Em termos de transição energética, o deputado referiu ainda a implementação de segunda central de baterias e a aquisição de dois aerogeradores, que irá permitir ultrapassar a barreira dos 50% da produção de eletricidade através de fontes renováveis.
O Grupo Parlamentar visitou também a Central Dessalinizadora, que é a única origem de água potável com qualidade utilizada para o abastecimento público, produzida a partir da água salgada. Uma infraestrutura que, tal como referiu Bernardo Caldeira, tem sido fundamental para resolver o problema de escassez de água no Porto Santo e que é estrutural para a ilha.
“Foi necessário encontrar uma resposta e esta foi a única alternativa, numa altura em que este tipo de solução era ainda muito experimental, mas, uma vez mais, estivemos à altura do desafio”, afirmou.
Outro dos projetos que os deputados social-democratas visitaram foi o do Life Dunas.
Bernardo Caldeira lembrou que estas formações geológicas de areia costeira são únicas no arquipélago da Madeira, mas, devido à ação humana, a integridade da sua estrutura ao longo da costa encontra-se vulnerável, pelo que, foi necessário encontrar soluções sustentáveis a longo prazo para restaurá-la o mais próximo possível do seu estado original.
“Trata-se, assim, de um projeto essencial não só para a manutenção da biodiversidade que estas dunas albergam, mas também para a preservação destas estruturas geológicas que fazem parte da identidade do Porto Santo e do seu cartaz turístico”, sustentou.