• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Domingo, 23 Janeiro 2022

“É preciso inverter o abandono e o desinvestimento a que os serviços da República na Madeira foram sujeitos ao longo dos últimos seis anos, prejudicando-nos a vários níveis e, logo à partida, na resposta que é prestada aos nossos cidadãos” alertou, hoje, a candidata pela coligação PSD/CDS “Madeira Primeiro”, Sara Madruga da Costa, exigindo que, também aqui, “o Governo da República assuma outra ação e responsabilidade para o futuro”.

Conforme explica, este desinvestimento ao nível dos recursos e meios humanos “tem sido bastante expressivo quer na segurança, quer no controlo de fronteiras, quer na área da justiça e da administração interna”, o que faz com que a Região, neste momento, “tenha falta de agentes da PSP, de funcionários judiciais, de funcionários aduaneiros e de controlo de fronteiras (ex. SEF) e de guardas prisionais, entre muitos outros”.

Sara Madruga da Costa que, a par “da falta gritante destes efetivos na Região”, alerta para a necessidade de serem resolvidas, de uma vez por todas, as questões relativas às carreiras e ao estatuto remuneratório destes funcionários da administração central na Madeira, questões que não têm sido prioridade para a República.

“Vamos lutar para que estas questões, que são da competência da administração central, sejam resolvidas de uma vez por todas, por forma a melhorar, simultaneamente, as condições de vida e de trabalho destes trabalhadores e a qualidade dos serviços prestados na Região”, garante a candidata, sublinhando que “é altura do Governo da República cumprir com as suas obrigações e de assumir as suas responsabilidades nas Regiões Autónomas, nomeadamente as relativas aos serviços que são da competência da administração central e que têm impacto direto na vida dos Madeirenses”.