• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quinta, 6 Janeiro 2022

“A suspensão do Subsídio Social de Mobilidade, que já devia estar há muito em vigor nas ligações entre a Madeira e o continente português, apenas veio demonstrar que, mais uma vez, o Governo da República, Socialista, não cumpre com a sua palavra e frustra as legítimas expetativas dos jovens madeirenses em viajar, dentro do próprio País, a preços mais justos e acessíveis” afirmou, esta tarde, o candidato pela coligação PSD/CDS “Madeira Primeiro” Dinis Ramos, numa iniciativa levada a cabo no Aeroporto Internacional da Madeira.

Candidato que, lembrando o facto da lei ora suspensa ter sido aprovada – após muita insistência por parte dos deputados do PSD/Madeira – em 2019, na Assembleia da República, lamenta que o Governo Central se tenha demitido das suas responsabilidades e obrigações e que este tenha sido o desfecho de um processo que viria beneficiar, em muito, os residentes na Região e, em particular, os estudantes da Madeira e do Porto Santo. Benefícios que caem por terra tanto mais numa altura em que, fruto da pandemia, muitas famílias enfrentam graves dificuldades financeiras, sendo também, neste contexto, de questionar a oportunidade da decisão e o prejuízo que a mesma acarreta para os mais jovens. 

Dinis Ramos que, a este propósito, sublinha o facto de, também aqui, nesta área, o Governo Regional ter encontrado uma solução, substituindo-se àqueles que não cumprem com a sua palavra, desrespeitando os cidadãos que vivem nesta Região, mas, também, as instituições democráticas que, legitimamente, aprovaram esta Lei.

“Nos últimos anos, o Governo Regional da Madeira, do PSD – que agora conta com o nosso parceiro, o CDS – substituiu o Governo da República em questões básicas e em princípios básicos que são da sua exclusiva competência, como é o caso da mobilidade e continuidade territorial e da coesão nacional, mas, na verdade e só assim, concretamente nesta área e através de Programas como o “Estudante Insular” é que foi possível garantir que milhares de jovens madeirenses pudessem passar o Natal em família e na Região”, vincou o candidato.

“É também por isso e para mudar este estado de coisas que é importante reforçar a representação da Madeira na Assembleia da República, votando Madeira Primeiro”, rematou o candidato.