• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quarta, 5 Janeiro 2022

“Mesmo com o voto contra do PS, conseguimos resolver inúmeros dossiês importantes para a Madeira, nas mais variadas áreas e é esse o trabalho que nos propomos a continuar e a reforçar, na próxima Legislatura, colocando, sempre e em primeiro lugar, a defesa desta Região e contando, também, com um Governo da República que nos respeite” afirmou, esta tarde, a candidata pela coligação PSD/CDS “Madeira Primeiro”, Sara Madruga da Costa, numa ação que teve lugar junto ao Palácio de São Lourenço.

Ocasião em que a deputada que ora se recandidata fez questão de vincar que, na Assembleia da República, o PSD/M sempre defendeu e nunca votou contra os interesses dos Madeirenses, denunciando discriminações e exigindo aquilo a que a Região tinha direito.

“Fizemos o nosso trabalho, queremos continuar a fazer ouvir a nossa voz e é isso que está em causa no próximo dia 30 de janeiro”, disse, lembrando, entre muitos outros exemplos em que o PSD/M foi decisivo, a aprovação da moratória do PAEF, a redução de impostos, a diminuição do IEC dos produtores de sidra e do IVA do mel de cana, a equiparação do IHM ao IHRU para efeitos de dedução fiscal, a extensão dos programas nacionais aos artistas madeirenses, a consagração de um subsídio de insularidade aos trabalhadores da Universidade da Madeira e a possibilidade das famílias afetadas pelos incêndios acederem a apoios nacionais, independentemente dos seus rendimentos.

Sara Madruga da Costa que, na ocasião, fez questão de reiterar que a candidatura “Madeira Primeiro” apresenta “uma equipa competente, dedicada e empenhada em defender a Madeira e a colocar a Madeira em primeiro lugar”,  frisando a importância do País escolher, nas próximas Legislativas Nacionais, um Governo da República que respeite a Madeira, que respeite os Madeirenses e que devolva a esperança a todos os Portugueses”.