• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Sábado, 20 Novembro 2021

O Presidente do PSD/Madeira, Miguel Albuquerque, viu ser legitimada, hoje, no Conselho Regional que teve lugar no Porto Moniz, a sua estratégia política para as Legislativas Nacionais, tendo ficado assente que o PSD/Madeira irá concorrer, às eleições do próximo dia 30 de janeiro, em coligação com o CDS/Madeira, intensificando-se, também por esta via, aquela que é a defesa do interesse superior desta Região e a luta comum contra a esquerda e as injustiças de que os Madeirenses têm sido alvo, por parte do Governo da República.

Uma solução conjunta que, conforme reiterou Albuquerque na ocasião, seguirá o método de Hondt - cabendo ao PSD/M os primeiros quatro lugares e, o quinto, ao CDS - e se afigura como a mais acertada à luz da conjuntura política atual, atendendo à estabilidade e ao bom trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no Governo Regional e do ponto de vista parlamentar mas, também, ao facto dessa maximização dos votos ter resultado nas Autárquicas, particularmente com a vitória do Funchal e do Porto Santo.

Apelando à união e mobilização rumo a mais uma vitória eleitoral em janeiro e frisando a importância da Região ver reforçada a sua representação em Lisboa - de modo a intensificar a defesa da Madeira junto da República, tanto mais quando existem dossiês fundamentais que se arrastam há seis anos, para prejuízo de todos os Madeirenses - o Líder dos Social-democratas agradeceu e reconheceu o trabalho desenvolvido pelas várias estruturas do Partido e apelou a que o mesmo prossiga, com humildade, responsabilidade e proximidade às populações.

 “Não passamos cheques em branco”, alerta Albuquerque

 Encerrado o ciclo político iniciado em 2019 com quatro vitórias eleitorais (eleições Europeias, Regionais e Legislativas de 2019 e Autárquicas de 2021), inicia-se agora um novo ciclo político, acelerado em função das eleições Legislativas que foram antecipadas, que irá exigir, conforme destacou Albuquerque, muito de todos os Militantes, tanto mais quando a campanha se resumirá sensivelmente a 3 semanas em janeiro.

Ainda antes, vincou, “temos a escolha do Líder Nacional do PSD a 27 de novembro e o Congresso Nacional”, reiterando que não tomará, ao lado do Secretário-geral e do Líder Parlamentar, qualquer posição nesta matéria mas que exigirá, “do novo Líder, seja ele qual for, um compromisso muito claro a favor dos interesses da Região”.

“Neste momento e face ao que se passou no passado, já não passamos cheques em branco a ninguém e quem quiser o apoio da Madeira vai ter de clarificar muito bem as suas posições e vai ter de estar ao nosso lado na defesa da Madeira”, disse.

“Se estivermos unidos e mobilizados, vencemos qualquer desafio eleitoral”, afirma José Prada

“Se estivermos unidos e mobilizados, se soubermos somar em vez de dividir, se apostarmos na nossa unidade contra a Esquerda e se colocarmos a defesa e o interesse superior da Madeira acima de quaisquer outros interesses, vencemos qualquer eleição” afirmou o Secretário-geral José Prada que, subscrevendo as palavras do Presidente do Partido, apelou ao trabalho, mobilização e determinação de todos os Militantes rumo às Legislativas de janeiro.

“Temos, todos, a obrigação de trabalhar pelo melhor resultado nas próximas Eleições e temos, igualmente, a 30 de janeiro, a oportunidade de reforçar a nossa representação parlamentar em Lisboa, aumentando a nossa capacidade de reivindicação contra um Governo Socialista que não respeita a Madeira, que há 6 anos não cumpre com a sua palavra e que teima em olhar para cada um de nós, Madeirenses, como Portugueses de segunda ou terceira categoria”, disse o Secretário-geral, lembrando que é tempo de união e convergência, contra o adversário político “que está lá fora e não cá dentro”.

José Prada que, nesta oportunidade, centrou grande parte da sua intervenção no agradecimento a todos os Militantes, graças aos quais o PSD/Madeira alcançou, a 26 de setembro, mais uma vitória, a quarta em dois anos, o que faz com que o Partido “tenha conseguido cumprir, até agora, os seus objetivos políticos” e reforça, ainda mais, a responsabilidade mas, também, a motivação para vencer as Nacionais.

Congresso do PSD/Madeira a 5 e 6 de março de 2022

Acresce referir que, conforme constava da ordem de trabalhos para hoje, foi aprovado, por unanimidade, neste Conselho Regional, o Regulamento para a realização do XVIII Congresso Regional do Partido, que terá lugar nos dias 5 e 6 de março de 2022, no Centro de Congressos da Madeira.

Um Congresso esse onde tomarão posse a Comissão Política e o Secretariado que serão eleitos, em lista única, assim como, também, os 450 delegados, sensivelmente um mês antes, a 11 de fevereiro.

A par deste Regulamento, o Conselho Regional deste sábado aprovou, também por unanimidade, o Relatório de Contas relativo ao ano de 2020, relatório esse que confirma e reafirma o equilíbrio orçamental assumido como prioritário pelos órgãos do Partido, destacando-se, entre outros resultados, uma diminuição na despesa superior ao meio milhão de euros.

 

CONCLUSÕES DO CONSELHO REGIONAL PSD/MADEIRA

Porto Moniz – 20 de novembro de 2021

O Conselho Regional do PSD/Madeira, reunido hoje, dia 20 de novembro, no Pavilhão Gimnodesportivo do Porto Moniz, procedeu à análise dos pontos em agenda e aprovou as seguintes conclusões:

  1. O Conselho Regional congratula-se e reconhece a confiança manifestada pelos Madeirenses e Porto-Santenses no projeto político assumido e defendido pelo PSD/Madeira e, igualmente, em coligação com o CDS, nas últimas Eleições Autárquicas do passado dia 26 de setembro.
  2. Cumprindo os objetivos a que se propôs para este ato eleitoral, o PSD/Madeira conseguiu vencer a maioria das Câmaras Municipais da Região e, também, recuperar Juntas de Freguesia, reforçando, conforme era seu propósito, a sua liderança no poder local. Destacando-se a vitória expressiva no Funchal e a maioria absoluta alcançada no Porto Santo, o Conselho Regional enaltece, igualmente, as grandes vitórias que foram conquistadas na Calheta, em Câmara de Lobos, em São Vicente e na Ribeira Brava, o crescimento registado nas votações e o consequente aumento do número de mandatos e, também, a recuperação de Juntas de Freguesia nos concelhos do Porto Moniz, Calheta e Santana.
  3. Resultados que reafirmaram a força, a organização e a capacidade de união e mobilização do nosso Partido e de todos os nossos Militantes Social-democratas – a quem este Conselho Regional expressa o seu mais sentido reconhecimento público – mas, também, a importância de colocar o interesse da Madeira em primeiro lugar, associando projetos que comungam desta visão e que reforçam o alcance dos nossos objetivos políticos.
  4. Neste enquadramento – partindo da experiência positiva resultante das últimas eleições e da vitória expressiva no Funchal e no Porto Santo, onde o nosso Partido concorreu em coligação – o Conselho Regional deliberou que o PSD/Madeira concorra às próximas eleições legislativas antecipadas de 30 de janeiro, em coligação com o CDS/Madeira, intensificando-se, também por esta via, aquela que é a defesa do interesse superior desta Região e uma luta comum contra a esquerda e as injustiças de que os Madeirenses têm sido alvo, por parte do Governo da República.
  5. Uma solução conjunta que, à luz da conjuntura atual, se afigura como a mais acertada para fazer frente ao PS e na qual, seguindo o método de Hondt, caberá ao CDS o quinto lugar, estando os primeiros quatro lugares reservados ao PSD/Madeira.
  6. Efetivamente, a crise política despoletada pelo desentendimento dos partidos de esquerda que sustentavam a geringonça – e a consequente dissolução do parlamento nacional, levando ao agendamento de eleições antecipadas – evidenciou a necessidade de combater a mediocridade e a incompetência da esquerda que governa o País, fazendo todo o sentido a convergência entre Partidos que, na Região, têm garantido a estabilidade política e o cumprimento integral de todos os compromissos assumidos com a população. Ressalve-se que esta coligação, presente na governação regional e, agora, nas principais Câmaras Municipais, assenta numa estratégia política que tem resultado e que apresenta evidentes ganhos, a todos os níveis, a favor dos Madeirenses e Porto-Santenses.
  7. É com esta estratégia firme e mantendo a defesa intransigente da nossa Autonomia e dos direitos dos Madeirenses e Porto-santenses como prioridades, que o PSD/Madeira assumirá a sua candidatura às próximas eleições legislativas antecipadas do dia 30 de janeiro, contando com todos os seus Militantes e reforçando a sua união e mobilização contra o embuste declarado das esquerdas e de todos aqueles que, na Região, preferem estar ao lado do Estado ao invés de defender, com responsabilidade e sentido de missão, os interesses desta Região.
  8. Defesa intransigente dos nossos direitos e interesses que deverá ser, igualmente, entendida enquanto prioridade absoluta por parte do novo líder nacional do PSD que será eleito a 27 de novembro, a quem caberá assumir o compromisso de lutar e contribuir para a resolução dos vários dossiês que se encontram pendentes na República, para prejuízo de todos os Madeirenses, sendo certo que o apoio da Região dependerá do grau de compromisso que for assumido e das responsabilidades conjuntas que forem partilhadas.
  9. Por outro lado e, na senda da mobilização que se impõe, o Conselho Regional reconhece e enaltece a participação e intervenção de todos os Militantes e estruturas do Partido na ronda pelos concelhos que arrancou no início de novembro, contactos esses que se assumem fundamentais para garantir que o Partido se mantenha unido, coeso, ativo e ainda mais preparado para ultrapassar, com sucesso, os próximos desafios eleitorais.
  10. União e mobilização que também se esperam reforçadas, entre todos os nossos Militantes, no tradicional Jantar de Natal que, depois do interregno de 2020 (devido à pandemia) será realizado no próximo dia 3 de dezembro, pelas 19.00 horas, no Pavilhão Sidónio Fernandes (Pavilhão dos Trabalhadores), no Funchal.
  11. A outro nível, o Conselho Regional reconhece o extraordinário trabalho que continua a ser desenvolvido, pelo Governo Regional, no combate e contenção da pandemia COVID-19, apelando a que a população adira à vacinação e continue a cumprir as medidas restritivas em vigor, de modo a contribuir no controlo de um problema que é comum e que, em cidadania, exige responsabilidade e compromisso coletivo.
  12. Finalmente, o Conselho Regional congratula-se com a aprovação, por unanimidade, das Contas relativas ao ano de 2020 e do Regulamento da Eleição da Comissão Política, do Secretariado e do XVIII Congresso Regional do PSD/Madeira.
  13. Informa, igualmente, que, conforme o Regulamento atrás referido e aprovado, as Eleições terão lugar no dia 11 de fevereiro e que o Congresso Regional terá lugar, nos dias 5 e 6 de março de 2022, no Centro de Congressos da Madeira.

 

Porto Moniz, 20 de novembro de 2021

O Conselho Regional do PSD/Madeira