• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quinta, 4 Novembro 2021

“Numa altura em que os apoios à recuperação económica deviam também ser localmente reforçados, assistimos a um pacote fiscal para o ano de 2022 que não traz nada de novo e não garante qualquer desagravamento fiscal” afirma o vereador Brício Araújo, que insiste na redução fiscal em Santa Cruz e esclarece que, ao contrário do que foi afirmado pela autarquia, o pacote fiscal não foi aprovado por unanimidade. “Os vereadores da Coligação ‘Cumprir Santa Cruz” aprovaram a taxa mínima de IMI e a devolução de IRS aos munícipes, mas votaram contra a manutenção da Derrama Municipal por entenderem que se trata de um imposto municipal que deveria ser eliminado por forma a fomentar o investimento no concelho e a criação de emprego”, esclarece o vereador, que lamenta, a este propósito, o facto da Câmara não implementar quaisquer medidas de incentivo ao investimento no concelho e à criação de emprego, numa altura em que “é fundamental dinamizar e relançar a nossa economia e criar oportunidades para todos, especialmente para os mais jovens”.

A verdade, prossegue Brício Araújo, “é que esta Câmara continua a não ser amiga do investimento e opta por tentar resolver, a jusante, o que deveria resolver logo a montante, e o importante é evitar que os problemas surjam e ganhem dimensão. Não podemos aparecer apenas no fim da linha quando tudo se complica”. O Vereador lamenta esta política de esquerda radical e a “falta de visão” do atual executivo camarário.

Acresce referir que, na reunião de hoje, os vereadores da Coligação “Cumprir Santa Cruz” aprovaram, ainda, a atribuição de apoio financeiro aos exames médicos a atletas dos escalões de formação, mas com uma “posição clara no sentido do mesmo ser concedido no início de cada época desportiva e, não, no fim, como está a acontecer”.

“Se a Câmara suporta esta despesa, deve fazê-lo no início da época, por forma a que as entidades desportivas não tenham de assumir e de adiantar encargos financeiros que só recebem um ano depois”, reforça Brício Araújo, que também refere o facto da vereação eleita pela Coligação ter aprovado medidas de apoio financeiro na área da saúde e educação.

“É importante que este tipo de apoios se implemente em articulação com as entidades regionais competentes, sem que nunca se desonere o Governo Regional no cumprimento das suas atribuições e obrigações nestas áreas específicas”, conclui Brício Araújo que reforça: “não podemos subverter o sistema, é fundamental promover equilíbrios e evitar arbitrariedades, já que todos os munícipes, em circunstâncias idênticas, têm de merecer igual tratamento e proteção”. “Estamos aqui para servir o concelho e defender os interesses de todos os munícipes e não apenas de alguns”, remata.