• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Sábado, 13 Fevereiro 2016

O PSD Madeira deseja que o novo Orçamento de Estado possa "refletir as preocupações dos madeirenses, sem descurar o normal desenvolvimento do país e as indispensáveis solidariedade e justiça social".

Nas conclusões do Conselho Regional, que se reuniu hoje no Estreito de Câmara de Lobos, o presidente da mesa, Adolfo Brazão, sublinhou que é com essa disposição que os social-democratas da Região encaram "esta natural negociação por um Orçamento que reflita as necessidades do país, mas também os direitos e as garantias dos madeirenses". Nesse sentido, os deputados do PSD Madeira na Assembleia da República irão propor um conjunto de iniciativas que promovam melhorias e mudanças positivas e efetivas no quotidiano regional, que, no momento próprio, serão conhecidas.

Neste encontro, os conselheiros congratularam-se também com a aprovação do Orçamento da Região para 2016, em dezembro do ano passado, caraterizado "pelo rigor nas contas públicas, mas centrado nas tarefas e áreas sociais, na equidade, no desenvolvimento e no crescimento económico, na criação de emprego e no início do processo de decréscimo da carga fiscal".

Garantido ficou ainda o apoio da estrutura regional à recandidatura do atual presidente do PSD Nacional, por considerar que Passos Coelho "reúne as condições necessárias para encetar, num momento difícil da vida do país, uma oposição construtiva, de qualidade, e com propostas alternativas sérias e credíveis viradas para o futuro e para as novas gerações".

Ainda no rescaldo das eleições presidenciais, Adolfo Brazão lembrou que o ano de 2016 arrancou, politicamente, com a vitória do candidato à Presidência da República apoiado pelo PSD Madeira, o Professor Marcelo Rebelo de Sousa, ficando, assim, concluído um período de tempo composto por três eleições, todas com vitórias para o PSD Madeira, no espaço de dez meses: as eleições regionais de 29 de março, as eleições nacionais de 4 de outubro, e as presidenciais de 24 de janeiro. "Este cenário permite-nos continuar a olhar para o futuro com esperança, na certeza de que trabalhamos diariamente para merecer a confiança dos madeirenses e que a nossa governação, uma governação assente na social-democracia e na proximidade dos eleitos aos eleitores, é o caminho certo para encontrar as melhores soluções para os problemas que naturalmente enfrentamos", afirmou.

Nota ainda para o anúncio do mais recente projeto do PSD Madeira, denominado de “Um Governo de Proximidade”. Esta nova iniciativa do partido, que arranca no dia 17 de fevereiro em Machico e em Santa Cruz, pretende incentivar o diálogo franco e aberto entre os governantes e os militantes, bem como estimular um maior relacionamento entre ambas as partes através da colocação de questões, dúvidas, problemas e/ou sugestões. "A aposta no diálogo permanente e constante com os social-democratas madeirenses é fundamental para o sucesso de um governo de cariz social-democrata", sublinhou Adolfo Brazão, adiantando que estes encontros vão realizar-se nas sedes de concelhia.

Ao longo do ano de 2016, o PSD Madeira vai assinalar os 40 anos da Autonomia Política da Região Autónoma da Madeira. Estas iniciativas terão como ponto forte a Grande Festa Popular do Chão da Lagoa, este ano marcada para dia 24 de julho, e o comício de rentrée política no Porto Santo, a 19 de agosto.

Leia aqui as conclusões