• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quarta, 13 Outubro 2021

A Comissão Política do PSD/Porto Santo reuniu para, entre outros assuntos relativos à atualidade política local, analisar os resultados das Eleições Autárquicas do passado dia 26 de setembro.

Presidida por Roberto Silva, esta Comissão realça, assim, “a motivação, o empenho e a dedicação de todos os militantes e simpatizantes do partido no decurso da campanha eleitoral”, independentemente de integrarem ou não as listas da coligação estabelecida, naquela ilha, com o CDS/PP e que se materializou “numa vitória clara e inequívoca do projeto autárquico encabeçado por Nuno Batista”.

A Comissão Política destaca ainda que “o PSD, principal força motriz da coligação, alcançou todos os objetivos estratégicos delineados aquando da escolha dos seus candidatos”, nomeadamente e, em primeiro lugar, vencer as eleições, em segundo lugar obter um resultado que garantisse a estabilidade governativa e que se traduziu numa maioria absoluta no elenco da vereação camarária e, finalmente, em terceiro lugar, reforçar a votação e o número de eleitos aos órgãos autárquicos, o que acabou por acontecer com a eleição de três vereadores (quando só dispunha de dois mandatos) na Câmara Municipal, de oito membros da Assembleia Municipal (anteriormente sete) e oito membros na Assembleia de Freguesia (igualmente sete no mandato anterior).

Para os responsáveis políticos do PSD/Porto Santo, “estes resultados esmagadores significam que a população do Porto Santo soube reconhecer na candidatura da coligação o mérito do projeto e dos seus candidatos, na senda daquele que é o historial autárquico de mais de quatro décadas de trabalho e empenho do partido na implementação e concretização das políticas de desenvolvimento económico e social que se reconhecem na ilha dourada”.

“Esta vitória é, também, por outro lado”, prosseguem, “fruto do mérito que o PSD teve em conseguir refrescar os seus quadros, sinónimo de pujança na sua militância e de atrair um núcleo coeso de pessoas com um leque alargado de valências que suscitou na população a confiança necessária e decisiva para que o PSD leve para a frente um novo ciclo de políticas de desenvolvimento e sustentabilidade”.

A Comissão Política do PSD Porto Santo acrescenta ainda que “esta é uma vitória do Porto Santo e da sua população contra a política do bota-abaixo e das campanhas de baixaria e difamação alimentadas diariamente, durante meses, na internet e nas redes sociais, tendo em vista derrubar o PSD local e assassinar o carácter dos seus candidatos, pessoas de uma idoneidade inquestionável e reconhecidas pela sociedade civil”.

Os dirigentes Social-democratas locais deixam ainda uma palavra de apreço ao trabalho desenvolvido pelo executivo do companheiro Idalino Vasconcelos, em cessação de funções, “que se pautou sempre pela seriedade e discrição, numa fase conturbada da política local, uma vez que sucedeu em minoria a quatro anos tempestuosos de desgovernação socialista”.

Saudando e reiterando “a plena confiança do partido em Nuno Batista” e respetiva equipa, assim como nos restantes eleitos, “na certeza de que os compromissos assumidos com a população do Porto Santo, serão desde a primeira hora honrados, como é apanágio do PSD” e que o partido encontra-se preparado para “uma vez mais apresentar aos porto-santenses as melhores alternativas políticas que firmem com a população um pacto de estabilidade que garanta uma nova vitória do trabalho e da dedicação à causa pública, imagem de marca do PSD nas próximas eleições legislativas regionais de 2023, em detrimento da demagogia e conversa fiada característica dos partidos da oposição”, a Comissão Política conclui, garantindo que, agora, é tempo “de arregaçar as mangas e colocar-se ao trabalho, nas diversas esferas de influência, mas a uma só voz, pelo Porto Santo”.