• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quarta, 6 Outubro 2021

Parlamento Europeu debate situação do Turismo na União.

Em julho passado, Cláudia Monteiro de Aguiar, presidente da Task Force de Turismo na Comissão dos Transportes e Turismo, juntamente com os colegas socialista húngaro, István Ujhelyi e espanhol dos liberais, José Ramón Bauzà, convocaram a Comissão Europeia na pessoa do Comissário Breton, responsável pela pasta do Turismo, para um debate em plenário no Parlamento Europeu.

Cláudia Monteiro de Aguiar na sua intervenção em plenário pediu ao Comissário que dê um sinal claro de apoio a um dos setores mais afetados pela crise pandémica: "O apoio ao setor não deve esgotar-se em 2 ou 3 instrumentos da União. É urgente apoiar os Estados Membros, considerando os que maior impacto sofreram. É necessário prolongar as moratórias, criar apoios diretos. Em Portugal, no meu país, a indústria clama apoios que ainda não chegaram. É preciso um prolongamento do SURE, incentivar a descida da taxa intermédia do IVA."

A deputada do PSD fez questão de referir Portugal, do esforço colossal das empresas para sobreviverem à crise e deu o exemplo da Região Autónoma da Madeira pela retoma do Turismo neste Verão que agora se encerra, apontando como uma das regiões com "taxas de ocupação a nível pré-pandemia. Muito graças à promoção do turismo interno, mas fruto também de medidas e instrumentos que permitiram coordenação, segurança e simplificação de documentos em espaço europeu." É importante que a União "aprenda com as falhas desta crise para agir de forma mais célere e eficiente".

Cláudia Monteiro de Aguiar, em nome da Task Force do Turismo, apontou ser de "elementar justiça enaltecer o facto da Comissão ter executado duas das propostas do Parlamento, cuja aplicabilidade se traduziu na redução da descoordenação e insegurança que se vivia, em plena crise pandémica: refiro o certificado digital da União e o selo de segurança Covid19", aproveitando para sublinhar que esta pandemia teve um "efeito acelerador na transição digital e ambiental, que são prioridades da União". "Conhecemos e saudamos o empenho de regiões, destinos, empresas, agentes do turismo, que em momento de sufoco, investiram nesta dupla transição", acrescentou.

Por último, e tendo em conta a situação atual quer de operadores turísticos, das agências de viagens e de todos quanto viajam, a deputada social-democrata lembrou que "o turismo faz-se de e para pessoas." Sendo "urgente que se cumpram com as obrigações do direito dos passageiros. Não podemos exigir mais a uns que a outros."