• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quinta, 11 Fevereiro 2021

A vereação do PSD eleita à Câmara Municipal do Funchal criticou, hoje, a falta de capacidade do Executivo em dar andamento aos processos que tem em mãos e que não avançam devido à incompetência e à falta de rigor de quem “está mais preocupado em anunciar do que em cumprir com os seus Munícipes”, evidências que deixam muito a desejar quanto à sua credibilidade

“Quando temos um Executivo que se limita a trazer assuntos gastos, que não avançam pela sua incompetência e que fecha os olhos à realidade que importa debater, democraticamente, nestas reuniões de vereação, todos e quaisquer contributos que possam ser dados caem no vazio e nada acrescentam a quem há muito deixou de governar para dedicar-se à sua campanha política”. A afirmação é da vereadora Paula Menezes que, hoje e no final de mais uma reunião de Câmara, não só criticou o facto de serem colocados à discussão “assuntos já por inúmeras vezes falados nestas ocasiões” como a incapacidade de o Município avançar naquilo a que se compromete junto dos seus Munícipes.

“Na reunião desta quinta-feira, limitamo-nos a abordar matérias que, no nosso entender, não são essenciais e que, ainda por cima, continuam por concretizar devido à falhas e lapsos de uma autarquia que, pelos vistos, nem sabe cumprir requisitos ou formalidades processuais” afirmou a vereadora, referindo-se ao facto do Executivo ter voltado a apresentar, neste encontro de vereação, processos já por diversas vezes analisados, nomeadamente o Centro Integrado de Gestão Municipal, a operação de reabilitação urbana na zona da Corujeira (que voltou atrás devido a erros de procedimento) e os projetos vencedores do Orçamento Participativo.

Paula Menezes que, lamentando a falta de capacidade e vontade do Município em cumprir com as suas promessas, vai mais longe ao afirmar que o Funchal precisa de um Executivo que “aborde os assuntos do princípio ao fim e que apresente as soluções com que se compromete, ao contrário de ficar sempre pelo meio e viver de meias-verdades e meias-soluções”.

“Antecipando que o Executivo venha, pela enésima vez, culpar o PSD pelo chumbo ao Orçamento para justificar a sua inércia, é importante que os Funchalenses saibam que as obras e as soluções que não avançam no tempo, há anos, devem-se, exclusivamente, à falta de vontade política e de competência de quem governa este Município”, rematou a vereadora.