• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quinta, 28 Janeiro 2021

Valorizando o esforço que os empresários têm vindo a revelar nesta fase pandémica, os vereadores do PSD eleitos à Câmara Municipal do Funchal criticam, em sentido oposto, a demora e a falta de resposta da autarquia a projetos que são essenciais para garantir a retoma económica na cidade e lembram que, passado um ano, o Executivo pouco fez para apoiar aqueles que lutam para garantir o desenvolvimento local e o emprego

“Hoje, no final desta reunião camarária, não podemos deixar de valorizar e reconhecer o esforço, a determinação e o espirito de resiliência que os nossos empresários têm vindo a demonstrar, ao longo desta fase pandémica – lutando para manter os seus negócios abertos ou mesmo investindo e contribuindo, dessa forma, para impulsionar a economia local – e é de lamentar que este Executivo continue incapaz de responder, atempadamente, a projetos que são essenciais à retoma e à manutenção e criação de emprego no Funchal” afirma a vereadora Paula Menezes, criticando a demora e a falta de resposta do Executivo Municipal do Funchal a projetos e pedidos que se arrastam meses e até anos na autarquia “e que não podem ser apenas viabilizados à luz dos calendários eleitorais”.

“Quando temos projetos de grande dimensão – como aqueles que hoje foram aprovados – que demoram meses e meses a serem viabilizados por este Executivo, o quê dizer de projetos que sejam de menor dimensão, apresentados pelos nossos pequenos e médios empresários ou projetos de licenciamento de particulares?” questiona Paula Menezes, que lamenta a falta de visão e de sensibilidade da Câmara Municipal do Funchal, “que parece ter deixado tudo para aprovar e decidir apenas em ano eleitoral, quando sabe que esse desfasamento no tempo já prejudicou, a vários níveis, muitos empresários e respetivas famílias”.

Paula Menezes que, neste contexto, sublinha a falta de implementação de medidas de fundo, pelo Município, para apoiar os empresários funchalenses, “inação essa inexplicável no contexto de crise decorrente da pandemia em que vivemos e quando há quem espere e desespere, há um ano, por respostas e soluções que já deviam ter sido aplicadas pela autarquia e que, ainda hoje, não saíram do papel”. Aliás, reforça, é também esta falta de resposta que leva a que muitos empresários acabem por desistir de investir no Funchal.

A este propósito, lembra a via verde para os licenciamentos imobiliários na qual o PSD já insistiu diversas vezes, em reuniões anteriores, uma proposta que, caso já tivesse avançado, já teria aberto espaço à reabilitação urbana que se impõe à cidade, ao desenvolvimento de novas ideias e projetos empresariais e à tão necessária criação de emprego”, vincou.

“A verdade é que, passado um ano de grandes dificuldades e sem capacidade de garantir e implementar apoios, o mínimo que este Executivo podia fazer era não adiar respostas aos pedidos que tem em mãos e que são, efetivamente, uma via para apoiar a retoma social e económica de que o Funchal mais precisa neste momento”, conclui a vereadora do PSD.