• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Segunda, 25 Janeiro 2021

Sara Madruga da Costa insistiu, hoje, na necessidade de o Governo Português apoiar, financeiramente, a Madeira, na recuperação dos prejuízos sofridos a 25 de dezembro. O pedido já foi formalmente entregue passada sexta-feira, na Assembleia da República, com a deputada a apelar a uma resposta que seja rápida e eficaz

“Tal como assumimos desde a primeira hora, defendemos que as intempéries que assolaram a Costa Norte da Madeira, no passado dia 25 de dezembro e no início deste ano de 2021 obrigam a um esforço conjunto e a uma solidariedade que não pode nem deve restringir-se, apenas, à Região” afirmou, nesta segunda-feira, a deputada Sara Madruga da Costa que, enaltecendo a postura responsável do Governo Regional e da autarquia, apela a que, agora, seja o Governo da República a contribuir e a garantir um apoio financeiro extraordinário que sustente a necessária reconstrução e recuperação.

“As referidas intempéries causaram elevados prejuízos, quer nas habitações, quer em infraestruturas públicas, terrenos agrícolas, estradas regionais, municipais, redes de água, eletricidade e comunicações que carecem, agora, de ser enfrentados e ultrapassados”, frisou, sublinhando, ainda, o facto desta calamidade ter ocorrido numa altura delicada e em plena pandemia, obrigando, assim, a um esforço ainda maior que deve contar com a solidariedade da República.

Vincando o facto de ser legítima esta pretensão – que também será reforçada através de um pedido a dar entrada, pelo PSD/M, na Assembleia Legislativa da Madeira – Sara Madruga da Costa deixa claro que o projeto de resolução dos deputados eleitos pelo PSD/M à Assembleia da República já deu entrada na passada sexta-feira e que, agora, o que se espera é uma resposta célere e eficaz para ajudar e acudir às populações afetadas.

“É muito importante garantir uma comparticipação financeira nacional à Madeira pelos prejuízos verificados, disponibilizar todos os meios e as ajudas necessárias às populações afetadas e fazer tudo para que estas freguesias retomem a normalidade, na maior brevidade possível, objetivos certamente mais fáceis e rápidos de atingir se contarmos com a ajuda de todos e com a solidariedade nacional”, rematou a deputada.