• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Sexta, 22 Janeiro 2021

A JSD/M reuniu hoje com a direção da ACIF, tendo como pano de fundo a atual conjuntura económica e as dificuldades ora agravadas pela pandemia, sentidas em particular pelas empresas. Um encontro que serviu para que os Jovens Social-democratas apresentassem as suas sugestões, baseadas na Moção de Estratégia Global aprovada no último Congresso Regional da estrutura, em novembro de 2020.

“Efetivamente, as principais propostas da JSD/M centram-se no reforço das competências e da capacidade dos privados em participarem num processo de digitalização da Economia, até porque acreditamos que a internacionalização económica, pela via da digitalização e da aposta em fatores cuja geografia não tenha um carater predominante, será um veículo determinante para a criação de novas oportunidades de negócio e de emprego na Região”, explicou Bruno Melim, à margem da reunião em que se fez acompanhar do Vice-Presidente da JSD/Madeira para a área Económica, António Gonçalves.

O Centro Internacional de Negócios da Madeira foi um dos assuntos abordados neste encontro, com Bruno Melim a sublinhar que, “no quadro atual e atendendo às propostas que estão em cima da mesa, tudo o que seja limitar a capacidade da atribuição dos apoios às empresas sediadas na Região, é atrasar a internacionalização da economia 40 anos. É voltar aos tempos anteriores à Autonomia”.

Paralelamente e do ponto de vista da resposta económica à pandemia, a JSD/M indagou a possibilidade de existir uma ajuda complementar aos apoios que têm vindo a ser assegurados, exclusivamente pelo Governo Regional, de modo a reforçar a resposta ao nível do poder local, como forma de mitigar a redução das quebras de faturação das empresas, tendo recebido um feedback positivo quanto a essa pretensão.

Uma reunião de trabalho na qual a JSD/M destacou, ainda, as suas propostas na área do Emprego e dinamização da atividade Económica, nomeadamente através de uma contínua aposta na diversificação assente no Investimento o I&d Tecnológico e Inovação Empresarial, na valorização do Turismo, Cultura e Património, na energia e mobilidade sustentável e, ainda, na Economia Azul. “A introdução da tecnologia nestes clusters económicos é essencial para potenciar a Região e para reforçar não apenas a sua capacidade de produção de riqueza, como, também, a sua afirmação enquanto destino inteligente, fator decisivo para atrair os jovens e, aqueles que procuram no espaço europeu, condições e qualidade de vida”, disse.

Bruno Melim que, dirigindo-se à ACIF, também abordou neste encontro algumas soluções tendentes a garantir a manutenção e a criação de emprego. A promoção de um incentivo efetivo à contratação de jovens, nomeadamente através do Programa de Estabilidade a 3 anos, em que os empregadores possam ter uma redução das participações sociais, seja através de benefício fiscal, seja através de crédito de imposto, foi uma das ideias defendidas pelo líder da JSD/M, “de modo a permitir que os custos inerentes à integração dos jovens no mercado de trabalho seja compensada através do alívio fiscal”.