• jan_21_banner.jpg
Notícias
  Sábado, 12 Dezembro 2020

O Grupo Parlamentar do PSD destacou, neste sábado, a garantia de que o investimento público é para continuar e reforçar no próximo ano, estando previstos, para esse efeito e no Plano e Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração da Região Autónoma da Madeira (PIDDAR) mais de 800 milhões de euros.

Investimento público que se consagra, assim e enquanto uma das prioridades do Governo Regional para 2021, na base de um Orçamento “que, alicerçado no equilíbrio entre o rigor das contas públicas, as respostas sociais e a necessária dinamização económica, encontra, no investimento público, uma alavanca ainda mais importante, nesta fase pandémica, até do ponto de vista da recuperação da economia e da manutenção do emprego”, conforme destacou, na ocasião, o deputado Gualberto Fernandes.

Social-democrata que, sublinhando o esforço que este Orçamento traduz ao nível do investimento público, enaltece o facto das verbas inscritas nesta área serem destinadas a toda a Região e, especialmente, à habitação, à saúde e à segurança e proteção das populações. Aliás, a este propósito, fez questão de afirmar que, por exemplo, estão reservados cerca de 130 milhões de euros na área da proteção de pessoas e bens e 26,8 milhões de euros para a habitação.

“As soluções de que a nossa população mais precisa, seja do ponto de vista da saúde, do social, mas, também, da sua segurança, estão salvaguardas neste Orçamento Regional e é nosso objetivo continuarmos a investir em todas as intervenções que garantam essas mesmas respostas, como é exemplo esta obra na Ribeira de Santa Luzia, que, além de requalificar e valorizar esta zona da cidade do Funchal, vem, sem dúvida, dar mais segurança a todos os seus residentes”, vincou.

Gualberto Fernandes que, a finalizar, destaca a preocupação evidente neste Orçamento Regional em não descurar aquelas que foram, desde a primeira hora, as grandes prioridades e linhas de atuação assumidas pelo Governo Regional: “Efetivamente e mesmo perante todas as dificuldades que a Região enfrentou, este ano, decorrentes da pandemia, é de realçar o reforço do investimento público em 2021, encarado, simultaneamente, enquanto pilar da retoma económica que se impõe mas, também, enquanto motor da estabilidade e do emprego de que a Região mais precisa nesta fase”, rematou, acrescentando que este “é um Orçamento de esperança e um Orçamento que vem ajudar as pessoas”.