• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Quinta, 26 Novembro 2020

Os Vereadores do PSD apresentaram, hoje, ao Executivo da Câmara Municipal do Funchal, uma proposta que visava a extensão da rede pública de saneamento básico na freguesia de Santo António. Uma proposta que foi liminarmente chumbada pela vereação socialista que, “em vez de admitir o problema e avançar com soluções, prefere desferir ataques que nada acrescentam e sacudir a água do capote, desresponsabilizando-se, mais uma vez, daquela que deveria ser a sua principal prioridade: ajudar as populações”, afirmou, esta tarde, a vereadora Social-democrata Joana Silva, no final de mais uma reunião da autarquia. 

Joana Silva que, lembrando que estão em causa a zona das Preces, Três Paus, Viana e Santa Quitéria “e mais de 100 famílias que, hoje em dia, continuam a ter de utilizar fossa séptica, o que representa um claro problema de saúde pública”, lamenta que, perante a proposta apresentada pelo seu Partido, o Presidente da Câmara “tenha afirmado que nem todos precisam de ter acesso à rede pública” e se tenha limitado, mais uma vez e infelizmente, a colocar o ónus em terceiros.

“Convém lembrar que este Executivo já está em funções há 8 anos e a verdade é que houve tempo e houve dinheiro, mas faltou vontade e capacidade para resolver os problemas e dar uma vida condigna aos munícipes de Santo António”, criticou a vereadora, vincando que este “é apenas o exemplo de mais uma promessa deste Presidente que fica por cumprir e, também, mais um exemplo de um município que se diz amigo do ambiente e  promotor de saúde pública, mas acha normal as pessoas não terem acesso à rede pública de saneamento básico em pleno século XXI”.

CMF desrespeita, novamente, decisões aprovadas em Assembleia Municipal

A par do chumbo desta proposta, a vereação Social-democrata viu-se obrigada a votar novamente contra o documento que o Executivo apresentou à reunião de hoje para a dissolução da empresa Frente MarFunchal. E isto porque, conforme explica Joana Silva, “infelizmente este Presidente não mudou uma virgula, não levou em conta nada do que foi discutido e aprovado na última Assembleia Municipal, numa clara falta de respeito pelas instituições democráticas que em nada ajuda a resolver o processo nem a salvaguardar, conforme é nossa prioridade desde a primeira hora, os direitos laborais dos funcionários aqui envolvidos”.

Joana Silva que insistiu, mais uma vez, na morosidade que este processo esta a levar, garantindo que “se existe alguém que continua apostado em prejudicar os funcionários da Frente MarFunchal, esse alguém não é certamente o PSD, não são certamente os deputados municipais do PSD mas, sim, este Presidente e a sua equipa”.