• Capa_abril_Site-100.jpg
Notícias
  Terça, 10 Novembro 2020

Deputado Social-democrata evidenciou, junto do Ministro da Economia, a falta de visão e de estratégia do Orçamento de Estado de 2021 para que o País enfrente, com sucesso e na maior celeridade possível, os enormes desafios sociais e económicos que tem pela frente. Ocasião em que lamentou que a Madeira não seja reconhecida no trabalho que tem vindo a fazer, sozinha, no combate e contenção da pandemia

“Quando temos um Governo da República que não se cansa de apregoar o esforço extraordinário que tem vindo a fazer para combater e conter a pandemia no País e se esquece de reconhecer o esforço que a Madeira tem feito, sozinha, nesta matéria, apenas podemos concluir que este Governo ainda não percebeu que estamos perante um problema que atinge todo o território nacional e que, tal como o esforço que é exigido, também os apoios e a solidariedade devem existir nessa conformidade”, afirmou o deputado Paulo Neves, na audição ao Ministro da Economia, que decorreu na Assembleia da República.

Audição em que Paulo Neves classificou o Orçamento de Estado como “manifestamente insuficiente” para que Portugal enfrente, com sucesso e rapidamente, os enormes desafios sociais e económicos que tem pela frente, afirmando mesmo que "Portugal foi muito rápido a cair mas está a ser muito lento a recuperar" e que não são as medidas que constam daquele Orçamento que irão ajudar ou sustentar essa mesma recuperação.

Deputado Social-democrata que, na sua intervenção, lamentou o facto da Madeira ter sido, mais uma vez, ignorada, tanto mais quando tem sido “exemplo nesta luta contra pandemia”, num trabalho que, infelizmente, tem levado a cabo “sozinha e sem qualquer apoio do Governo central”. A este propósito, Paulo Neves lembrou a recente recusa do Estado em conceder o aval ao empréstimo que a Região teve de contrair, “um aval que não implicava quaisquer custos ao Estado, mas que, para os Madeirenses, representava uma poupança na ordem dos 84 milhões de euros”.