• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quarta, 21 Outubro 2020

A Comissão Política da JSD Funchal entregou, hoje, na Câmara Municipal do Funchal, uma carta onde denuncia a falta de cuidado e de limpeza que atualmente caracteriza a cidade, apelando, ao Executivo, que assuma as suas responsabilidades e que intervenha, rapidamente, na correção de um problema que se tem agravado, ao longo dos últimos anos. Um desleixo com o qual os Jovens Social-democratas não pactuam, tanto mais “quando o mesmo contraria as boas práticas que se exigem às instituições e o projetar de um futuro que vá para além da propaganda e que atenda à qualidade de vida dos Munícipes, hoje defraudados com esta falta de cuidado”.

JSD que garante “não ser este o exemplo que deve ser dado às novas gerações, numa cidade votada ao abandono, onde a limpeza não passa de uma miragem e onde a política ambiental não sai, pelos vistos, do papel”.

Na missiva entregue ao Executivo da Câmara Municipal do Funchal, a JSD apela a que o Executivo cumpra com as suas obrigações – tanto na perspetiva da limpeza e do cuidado com a cidade quanto do ponto de vista da necessária sensibilização pública junto dos Munícipes – e lança reparos à propaganda que é feita aquando de cada ação – rara – realizada, “como se a limpeza e o cuidado com a cidade fossem algo de abstrato e necessitassem de publicidade”, numa crítica direta à “megaoperação” de limpeza que foi promovida, publicamente, pela autarquia, no início deste mês.

Uma intervenção que apenas serviu “para que o Presidente do Executivo assumisse as suas falhas e corrigisse, lamentavelmente apenas e só de forma pontual, uma situação que deve ser olhada em continuidade e, não, apenas quando é mais oportuno”, sublinham.

JSD que, aliás e a este propósito, afirma ter realizado várias ações de limpeza nas freguesias do Funchal, a última das quais precisamente no passado dia 5 de outubro e antes da referida megaoperação, onde as críticas ouvidas por parte da população “foram mais que muitas”.

“A falta de limpeza é notória, é algo que as pessoas constatam no seu dia-a-dia e não há cosmética que consiga disfarçar a incompetência que tem existido nesta área”, reforça a JSD, deixando claro que este não é o exemplo que uma capital como o Funchal deve dar na atualidade ou às novas gerações, nem tampouco é com este modelo que os jovens se identificam, numa cidade desleixada que está bem longe dos patamares a que aspira e relativamente aos quais reúne todas as condições.