• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Segunda, 12 Outubro 2020

Nesta segunda-feira em que o Governo da República apresenta a sua proposta para o Orçamento de Estado de 2021, os deputados do PSD/M eleitos à Assembleia da República deixam o alerta para que as conquistas da Região, constantes no Orçamento de 2020, “sejam, no mínimo, mantidas”. Entre estas, a comparticipação de 50% para a construção do novo Hospital da Madeira é uma prioridade

“Esperamos que aquelas que foram as conquistas da Madeira no Orçamento de Estado de 2020 – muitas delas fruto do trabalho que os deputados do PSD/M desenvolveram na Assembleia da República – sejam, pelo menos, mantidas e fica já o compromisso de que não aceitaremos, sob qualquer pretexto, que existam retrocessos nos dossiês assumidos, tanto mais quando estão em causa propostas e iniciativas que já se arrastam há demasiado tempo e que exigem uma solução”.

A afirmação é da deputada Sara Madruga da Costa que, nesta segunda-feira, fez questão de frisar, ao lado do seu colega Sérgio Marques, a importância do Governo da República, na proposta que hoje será divulgada sobre o Orçamento para o próximo ano, “manter, no mínimo, aquilo que foi conseguido no Orçamento deste ano, promovendo-se, neste enquadramento, as correções que forem necessárias para que, finalmente, essas mesmas conquistas possam vir a ser uma realidade”.

Conquistas entre as quais a deputada fez questão de destacar, hoje, a comparticipação de 50% do Governo da República ao novo Hospital da Madeira, dossiê sobre o qual reuniu com o Secretário Regional dos Equipamentos e Infraestruturas, Pedro Fino.

“Um dos exemplos das conquistas que queremos ver repercutido no Orçamento de Estado para 2021 prende-se com a comparticipação de 50% do Governo da República em relação ao novo Hospital da Região e esta reunião serviu para percebermos qual o ponto da situação por parte do Governo Regional sobre a obra – cujos trabalhos deverão arrancar, no terreno, no primeiro semestre do próximo ano – e o que falta por parte do Estado”, disse, na ocasião, a Social-democrata, vincando, a este nível, o facto do Governo da República, pese embora a insistência do PSD, “ainda não ter corrigido a Resolução do Conselho de Ministros e continuar a insistir na ilegítima dedução, aos 50% da sua comparticipação, do valor dos Hospitais Dr. Nélio Mendonça e Marmeleiros, cuja propriedade nem é do Estado”.

“O novo Hospital exemplifica uma das muitas reivindicações de que a Madeira não irá abdicar no próximo Orçamento de Estado e aquilo a que nos propomos, desde já, é que todas as matérias que foram aprovadas e que neste momento ainda não avançaram, tenham a garantia de ser finalmente implementadas, no próximo ano”, rematou a deputada.