• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quarta, 7 Outubro 2020

“É lamentável que o decréscimo extremamente acentuado das exportações nacionais a que temos vindo a assistir não motive uma atuação concertada, por parte do Governo da República e fica evidente que, também nesta matéria, não existe, por parte de quem devia ter essa preocupação, qualquer estratégia ou capacidade para inverter a situação”. A afirmação é do deputado Paulo Neves que, nesta quarta-feira e na audição ao Secretário de Estado da Internacionalização, acusou o Governo de António Costa de passividade e de falta de ação quanto às quebras que, neste âmbito, se têm vindo a verificar e afirmou que “Portugal necessita de medidas urgentes e cirúrgicas para compensar tais decréscimos”.

Criticando a falta de visão que é notória por parte do Estado, o deputado do PSD/M eleito à Assembleia da República exigiu, entre outras medidas, planos de emergência individualizados para mercados como o Reino Unido (onde a descida das exportações foi de 34%), Angola (-28%), Brasil (-34%) e Estados Unidos (-27%), pedindo, ainda, apoios para a capitalização das empresas exportadoras e para o acesso ao crédito.

Paulo Neves que, aquando da sua intervenção, também acusou a atual política fiscal do Governo Socialista de ser “prejudicial à competitividade nacional” dando o exemplo de “altos impostos e das mais de 4.300 taxas existentes em Portugal”.