• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sexta, 25 Setembro 2020

O Grupo Parlamentar do PSD destacou, hoje, numa iniciativa realizada no centro do Funchal, a importância das medidas de apoio social que têm vindo a ser implementadas pelo Governo Regional e complementadas pelas instituições de solidariedade social.

“Tem havido uma preocupação de ir ao encontro de todos e de adequar as respostas às necessidades da nossa população”, afirmou a deputada Cláudia Perestrelo, ressalvando que houve um reforço dos apoios no contexto de pandemia. “Existe uma rede de apoios pública e privada a que as pessoas podem e devem aceder, devendo informar-se junto as instituições dos concelhos onde residem, entre elas a segurança social e as casas do povo.

A deputada salientou que o objetivo é “não deixar ninguém de fora” e de responder também, nas situações de desemprego, às pessoas que não estão em condições de requerer o subsídio e ainda àquelas que sofreram uma perda de rendimento.

Referiu, por exemplo o Fundo de Emergência para Apoio Social (FEAS) e o Fundo de Apoio Regional às Organizações Locais (FAROL). “São cerca de 5,5 milhões de euros para as pessoas em circunstâncias de maior vulnerabilidade decorrente da situação de pandemia”, disse.

Cláudia Perestrelo sublinhou que, “para além das medidas existentes antes da pandemia, como o Rendimento Social de Inserção (RSI) entre outras prestações sociais, existe um reforço efetivo nas medidas sociais por forma a minimizar o impacto negativo desta crise pandémica nas nossas famílias, enquanto se procura recuperar gradualmente a economia”. Manifestou, ainda, preocupação relativamente à ausência de apoios do Estado: “Sabemos que os recursos regionais não são ilimitados e este é um esforço tremendo da Madeira que não tem contado com a atenção do Estado”.

Terminou deixando uma palavra de reconhecimento a todas as instituições públicas e privadas com intervenção social relevante numa altura em que a solidariedade assume particular importância e apelou a todas as pessoas que se encontram numa situação mais vulnerável para que procurem informar-se sobre as respostas sociais existentes e mais adequadas para o seu caso.