• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quinta, 10 Setembro 2020

Vereação Social-democrata repudia postura do Executivo Municipal e lamenta que a Câmara seja gerida por alguém que foge às suas responsabilidades, que vive de meias-verdades e que ainda tem o desplante de acusar um proprietário a quem inviabiliza um projeto de reabilitação urbana, desde 2019

“É lamentável que, perante o incidente ontem ocorrido num dos prédios devolutos da cidade do Funchal, o Executivo Municipal tenha preferido – no estilo que já lhe é habitual – passar a responsabilidade para terceiros, numa tentativa falhada de disfarçar o facto da bandeira da reabilitação urbana que tanto apregoa não ser mais do que mera propaganda política”.

É desta forma que os vereadores Social-democratas eleitos à CMF reagem às declarações ontem proferidas pelo Presidente do Executivo, a quem acusam de “fugir às suas responsabilidades”, preferindo colocar o ónus no proprietário que aguarda a viabilização do seu projeto de reabilitação desde 2019 e no PSD, que votou contra a declaração de Prédios Devolutos.

“O que o Presidente da Câmara não disse é que essa declaração de Prédios Devolutos teve por intenção a triplicação do IMI que o seu Executivo implementou e com a qual o PSD nunca concordou, até porque uma verdadeira política de reabilitação urbana não se faz penalizando os proprietários mas, sim, incentivando-os a essa mesma recuperação dos seus prédios”, afirmam os Social-democratas.

PSD que alerta para o facto de existirem, naquela zona histórica e em muitas outras zonas limítrofes da cidade, prédios devolutos cujos proprietários aguardam resposta da autarquia, muitas das vezes com prazos incompatíveis face aos investimentos a que se propõem. “Infelizmente não é de estranhar a inércia do Executivo nesta matéria e na resposta que falta aos proprietários destes imóveis, quando nos prédios que são da sua tutela essa irresponsabilidade é bem evidente, nomeadamente no prédio onde supostamente a Câmara, há mais de quatro anos, já deveria ter reabilitado a Confeitaria Felisberta”, sublinham.

“Não é aceitável termos um Executivo incapaz de assumir as suas competências e que mais não faz do que ignorar respostas e dificultar a vida dos proprietários destes prédios”, acusa, por fim, a vereação Social-democrata, acrescentando que “não é ao passar as responsabilidades para terceiros que os problemas da reabilitação urbana do concelho se resolvem, nem muito menos é essa a postura que os Funchalenses merecem, estando em causa tanto a segurança pública quanto o futuro de uma cidade que se deseja revigorada e, não, votada ao abandono e desleixo camarário”.