• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Segunda, 15 Junho 2020

Social-democrata lembra importância da reunião do Conselho Europeu que decorre na próxima semana, apela ao consenso e à solidariedade entre os Estados-Membros no que toca às propostas para o Fundo de Recuperação e adianta que existe uma verba adicional, destinada às Regiões Ultraperiféricas, que pode vir a beneficiar a Madeira em cerca de 60 milhões de euros

Na próxima semana, mais precisamente na quinta e sexta-feira, as propostas da Comissão Europeia que estarão na base do Fundo de Recuperação para apoiar cada um dos Estados-Membros na retoma social e económica que se impõem, serão apreciadas em sede de reunião do Conselho Europeu. Uma reunião que, no entender do deputado do PSD Sérgio Marques, assume “uma importância vital para que cada um dos Países faça um esforço de aproximação de posições e garanta que, tão cedo quanto possível, esse Fundo possa estar a funcionar e possa cumprir com o seu objetivo, que é o de disponibilizar ajuda financeira para acorrer e atender às inúmeras necessidades resultantes da crise económica e social sem precedentes que vivemos, em função da pandemia”.

Lembrando que este Fundo está dotado, de acordo com a proposta da Comissão, de 750 mil milhões de euros, dos quais 500 mil milhões de euros a fundo perdido, o Social-democrata evidencia que a criação deste instrumento de apoio “é um claro sinal de esperança que nos chega de Bruxelas” e que, à semelhança da solidariedade europeia que temos vindo a sentir, “espera-se que o Estado Português possa também ser solidário com a Madeira, o que não tem acontecido nos últimos meses”.

Solidariedade que, aliás, é reforçada “quando, nesta proposta da Comissão Europeia, há uma verba adicional para as Regiões Ultraperiféricas, através da qual a Madeira poderá vir a ser contemplada em cerca de 60 milhões de euros, somando este apoio a todos os outros recursos que irão provir dos Fundos Estruturais”, explica Sérgio Marques, considerando que esta verba adicional “é uma ótima noticia, até porque todos esses recursos financeiros poderão ser utilizados para reforçarmos a resposta às necessidades das famílias, do mundo empresarial e da manutenção de emprego que é extremamente importante, nesta crise”.

Lembrando as recentes declarações da Presidente da Comissão Europeia – que afirmou que seria importante não deixar nenhum País ou região para trás – o deputado eleito pelo PSD/M à Assembleia da República espera que esta mensagem chegue também ao Governo Português, “de modo a que, conjuntamente, possamos responder e apoiar, da melhor forma, todos os cidadãos, empresas e famílias a superarem esta gravissima crise económica e social que estamos a viver na sequência da pandemia”, disse.