• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quinta, 4 Junho 2020

Vereadores Social-democratas lamentam que a Câmara Municipal do Funchal tenha chumbado a proposta que visava a requalificação urgente da câmara de refrigeração de pescado, assim como a compensação aos comerciantes, fundamental face à redução das vendas associadas à eventual quebra de confiança dos consumidores

Os vereadores do PSD eleitos à Câmara do Funchal apresentaram, nesta quinta-feira, ao Executivo Municipal, uma proposta concreta para a intervenção imediata no Mercado dos Lavradores, nomeadamente na câmara de refrigeração destinada ao armazenamento de pescado. Uma intervenção urgente que viram recusada, hoje, pelo Executivo, que também se negou a compensar os comerciantes afetados pela redução das suas vendas, conforme proposto pelos Social-democratas.

“Esta intervenção é urgente para repor a qualidade no trabalho e a segurança alimentar que se impõem, tanto aos concessionários quanto aos clientes”, explica a vereadora Nadina Mota, lamentando que esta questão não seja prioritária para autarquia, em nome da saúde pública, mas, também, da imagem de excelência que este espaço emblemático deve saber preservar e potenciar.

Lembrando a visita realizada, pela vereação Social-democrata, no passado sábado, ao Mercado dos Lavradores, Nadina Mota garante “estão em falta várias melhorias neste espaço e que é inaceitável que o Executivo não tome as devidas diligências”, manifestando, em nome do PSD, a sua total solidariedade para com os comerciantes, “ao lado dos quais estamos e estaremos, sempre, na resolução de mais esta contingência. Seria, aliás, da maior e elementar justiça que a Câmara Municipal do Funchal compensasse os feirantes do Mercado dos Lavradores pela redução das vendas, fosse por via isenção da renda mensal ou de outra forma”, vincou.

Vereação que apresentou, ainda, ao Executivo Municipal, um Voto de Louvor a todos os funcionários da autarquia, "pela forma altruísta, solidária, dedicada e competente" com que desempenharam as suas funções durante a pandemia e, concretamente, ao longo do Estado de Emergência e de Calamidade decretados. “Foi através deste trabalho, deste sentido de missão e deste verdadeiro serviço público que estes trabalhadores contribuíram, de forma significativa e exemplar, para conter a propagação da doença e para garantir os serviços mínimos necessários e essenciais à vida dos munícipes do Funchal, algo que não pode deixar de ser publicamente reconhecido”, rematou a vereadora.

Refira-se que, na reunião de hoje, o PSD propôs ao Executivo, mais uma ajuda ao tecido empresarial da cidade, neste caso relacionada com a isenção do pagamento das rendas dos espaços comerciais concessionados pelo Município, até 31 de dezembro de 2020. Proposta que deverá ser discutida na próxima reunião camarária.