• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Quarta, 13 Maio 2020

Eurodeputada considera que, globalmente, a estratégia é positiva, mas assinala a necessidade de reforçar a resposta da União face à crise económica

A Comissão Europeia apresentou, nesta quarta-feira, as orientações estratégicas para o sector do Turismo e Viagens, através de um documento principal, do qual consta a estratégia para 2020, que se acompanha de outros quatro documentos com orientações para os Estados-Membros.

Recomendações que se referem à restituição da liberdade de circulação de pessoas, à reabertura gradual das fronteiras internas, ao restabelecimento em segurança de todos os modos de transporte e serviços turísticos e, por último, à opção vouchers e/ou reembolso das viagens.

Uma estratégia que, conforme refere a eurodeputada Cláudia Monteiro de Aguiar, “é, globalmente, positiva”. Assim como é positivo, reforça, “vermos, pela primeira vez, a Comissão apresentar uma série de medidas que influenciam o sector do Turismo e Viagens e que tendem a garantir uma retoma da normalidade, em segurança”.

Segundo explica, “a crise não termina no momento em que se prevê a abertura gradual das fronteiras internas e estas recomendações acabam por ser uma importante ajuda na normalização das viagens, na reabertura dos espaços de serviços turísticos, de uma forma concertada e harmonizada entre Estados-Membros”. Paralelamente, sublinha, esta estratégia é também positiva “porque inclui várias referências às Regiões Ultraperiféricas – conforme foi nossa recomendação – que, do ponto de vista da fragilidade económica e do isolamento, são claramente mais afetadas”.

Cláudia Monteiro de Aguiar que, todavia e do ponto vista da resposta à crise económica, tem outra opinião: “não me parece que haja uma medida de apoio, ou seja, não há sinais de um pacote com fresh money, não há um sinal de um mecanismo compensatório para que esta retoma gradual permita a muitas pequenas e médias empresas suportar os custos que têm pelo funcionamento com capacidade limitada", disse.

“Espero que do ponto de vista da substância, o plano de recuperação - que anunciaram apresentar em Maio - bem como o próximo Quadro Financeiro Plurianual, tragam o esperado apoio direto ao sector, bem como suporte, às regiões mais afetadas, perante o peso que o sector  do Turismo e Viagens representa no PIB de alguns países" remata Cláudia Monteiro de Aguiar. 

Para já ainda não é conhecida a data em que serão reabertas as fronteiras internas e restabelecidas as viagens, sendo que tal dependerá da situação epidemiológica de cada Estado-Membro e da capacidade de cada sistema nacional de saúde, dos testes efetuados e da forma de monitorizar possíveis novas infeções. O mapa global da situação epidemiológica da União será disponibilizado e servirá como instrumento para os agentes do sector e para quem viaja manterem-se informados.

Na oportunidade, a Comissão anunciou, também, o lançamento de uma Estratégia Europeia para o Turismo, com horizonte 2050 e a organização de uma Conferência Europeia para o Turismo, em breve.