• bannerSitePSDM3jan2020.jpg
Notícias
  Sexta, 8 Maio 2020

“No dia em que Machico assinala o seu aniversário, fundamentado na sua posse administrativa, é essencial que a nossa população encare o futuro com responsabilidade e esperança mas, também, com a convicção de que é possível fazer mais e melhor, até porque o futuro desta terra e das nossas gentes não pode continuar à mercê de quem já demonstrou, por diversas vezes, não ter visão, estratégia ou sequer capacidade para liderar este concelho”. A afirmação é do Presidente da Comissão Política Concelhia do PSD/Machico, Norberto Maciel, que, nesta data – celebrada em condições atípicas devido às limitações da pandemia COVID-19 – aproveita para saudar toda a população – e, particularmente, os emigrantes que se encontram fora do concelho, os trabalhadores, os dirigentes sociais, culturais, recreativos e desportivos, os pescadores, os funcionários da autarquia e os jovens e estudantes de Machico – deixando um reconhecimento muito especial a todos os Munícipes pela forma responsável, prudente e colaborante com que geriram esta pandemia. “Se Machico foi um dos concelhos da Região com menor taxa de infeção, esse resultado deve-se a toda a população, que mais uma vez foi exemplo”, disse.

Um exemplo que também deve fazer-se sentir, agora e segundo defende, nesta fase de recuperação. “Com 600 anos de existência, Machico, terra pioneira dos descobrimentos, sempre foi fortalecida graças a um investimento público e privado que devemos saber recuperar, em nome de um desenvolvimento que foi adiado, nestes seis anos de governação socialista”, afirma o Social-democrata, frisando que este concelho necessita, hoje e mais do que nunca, de combater a progressiva desvalorização de que sofre, em consequência do escasso investimento municipal levado a cabo nos diferentes sectores da atividade económica e, também, devido à inoperância e falta de resposta de quem gere o Município.

“É evidente para todos que não existe um marca, uma obra, um investimento ou sequer uma medida que marque a governação socialista, nestes últimos seis anos”, insiste Norberto Maciel que, numa alusão às contas da autarquia, lembra que não faz sentido, com um orçamento anual de 10 milhões de euros e com uma reserva de 50% para despesas correntes, “não haver um projeto de desenvolvimento socioeconómico para cada uma das freguesias do concelho”. Assim como não faz sentido, prossegue, "que, só no presente mandato, a população de Machico tenha contribuído em mais de 15 milhões de euros, através de impostos diretos e indiretos, não obtendo do executivo qualquer contrapartida em termos de desenvolvimento e modernização".

“Atualmente e com uma dívida praticamente residual, estão criadas as condições para que valorizemos o nosso concelho, através de uma política séria, organizada e promotora do investimento público e privado que, simultaneamente, atenda às necessidades da nossa população e reforce a nossa imagem e credibilidade turística”, reforça o Presidente da Concelhia local, garantindo que o projeto de futuro que o PSD defende para Machico envolve “não só mais investimento e emprego como mais apoios ao comércio local, mais desenvolvimento turístico e novas oportunidades de mercado, mais apoios aos jovens e respetiva fixação no concelho, mais ajudas aos idosos e promoção do envelhecimento ativo, mais educação e valorização do trabalho que é feito pela comunidade educativa e, naturalmente, uma aposta decisiva na reabilitação de infraestruturas que, hoje, se encontram degradadas e em equipamentos desportivos e culturais que se encontram abandonados”.

“Medidas concretas que não se compadecem com as promessas que teimam em ser adiadas por incompetência e não por falta de meios”, sublinha, ainda, o Presidente da Concelhia local, garantindo que Machico “não pode esperar muito mais para trabalhar neste projeto de desenvolvimento e para abraçar novas oportunidades que, efetivamente e em todas as freguesias, correspondam à vontade do povo e reforcem o sentido de orgulho e de pertença que, desde sempre, caracterizaram este concelho”.

Vontade do povo que foi também lembrada a propósito desta celebração, com Norberto Maciel a reiterar a importância de se manter o Feriado Municipal a 9 de outubro, dia do Senhor dos Milagres, em sintonia com a população que, no passado dia 9 de outubro contestou a ausência do feriado e manifestou a sua total discordância, através da realização de uma petição escrita, entregue na autarquia, com mais de 1.700 assinaturas, recolhidas em apenas três dias, “documento prontamente ignorado pelo executivo socialista”.

"O nosso objetivo é termos um concelho próspero, desenvolvido e com o qual a nossa população se identifique, se sinta ouvida e apoiada e, acima de tudo, onde cada cidadão assuma o seu papel para o bem comum. Na certeza de que não é isso que temos hoje, temos é de trabalhar, afincadamente e desde já, para que esta venha a ser uma realidade, tão rápido quanto possível", remata.